Acesso ao bem-estar social ainda é desigual entre homens e mulheres – ADRA

Director geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), Belarmino Jelembi (Foto: Clemente dos Santos)
Director geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), Belarmino Jelembi (Foto: Clemente dos Santos)
Director geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), Belarmino Jelembi (Foto: Clemente dos Santos)

O director geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), Belarmino Jelembi, disse hoje, terça-feira, em Luanda, que o acesso ao bem-estar social ainda se processa de maneira bastante desigual entre homens e mulheres.

Segundo o responsável, que falava na abertura da V Conferência Nacional sobre Género e Desenvolvimento, as questões da igualdade e equidade de género fazem parte dos estudos e projectos sociais que pretendem dar uma visão mais holística sobre os problemas económicos e a repartição do rendimento nacional

Acrescentou que tendo em conta que o período para o cumprimento dos objectivos do milénio termina este ano, afigura-se de alta relevância reflectir-se sobre os avanços alcançados em termos de medidas políticas, programas e projectos implementados pelo estado e parceiros sociais em torno da igualdade de género.

Referiu que é neste sentido que a ADRA e a Rede de Desenvolvimento de Género do Cazenga, Kilamba Kiaxi e Sambizanga realizam esta conferência com objectivo de discutir o ponto de situação no domínio das questões de género e do empoderamento das mulheres.

Belarmino Jelembi disse que o objecivo é persistir na estratégia de promoção do espaço de discussão plural, no respeito da lei e dos valores mais nobres da humanidade.

“Só podemos construir uma Angola próspera e melhor do que a de hoje, se formos capazes de discutir as nossas contradições a valorização pelas diferenças e o respeito pela liberdade de expressão e pelo estado de direito”, realçou.

A conferência visa analisar os avanços e progressos até agora alcançados pelo país e permitir a realização de diálogo e troca de experiências entre as várias instituições que trabalham no domínio da promoção da igualdade e equidade de género.

Este ano o encontro vai debruçar-se sobre os oito objectivos de desenvolvimento do milénio, com maior realce às questões da equidade de género e do empoderamento da mulher.

Temas como promover a igualdade do género e empoderamento das mulheres e melhorar a saúde materna estão em debate no certame que conta com cerca de 100 participantes oriundos de algumas províncias do país (Benguela, Malanje, Huíla e Huambo).

O evento esta inserido nas comemorações dos 25 anos da organização, sob o lema “ADRA 25 anos na promoção da cidadania e na inclusão social de Angola”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA