Zaire: Conselho do MININT recomenda aprimoramento dos mecanismos de controlo migratório

(Foto: Angop)

Mbanza Congo – Os membros do conselho consultivo alargado da delegação provincial do Zaire do interior reunidos segunda-feira, na cidade de Mbanza Congo, recomendaram o reforço dos mecanismos de fiscalização da entrada e permanência de estrangeiros no território nacional.

(Foto: Angop)
(Foto: Angop)

Segundo o comunicado final chegado hoje, terça-feira, à Angop, os participantes reiteraram o apelo à população da região a continuar a colaborar no combate à imigração ilegal, abstendo-se das acções que auxiliem à entrada e permanência irregular de estrangeiros em Angola.

Quanto à situação da criminalidade, os intervenientes concluíram que apesar de se registar casos pontuais perpetrados por jovens e adolescentes, principalmente na cidade de Mbanza Congo, a mesma mantém-se relativamente calma.

Os membros do conselho consultivo da delegação do Ministério do Interior recomendaram maior celeridade na tramitação dos processos-crime que chegam à Direcção local do Serviço de Investigação Criminal (SPIC), assim como no esclarecimento de outros.

A intensificação das campanhas de sensibilização da população da região sobre os perigos de residir em zonas consideradas de risco iminente por parte do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB) consta também das recomendações da reunião.

Os participantes tomaram conhecimento sobre a situação da superlotação dos dois estabelecimentos prisionais existentes na província (Nkiende e Mangue Grande), tendo recomendado o reforço das medidas de segurança, controlo e disciplina que garantam a educação dos reclusos, assim como a sua inserção em actividades produtivas.

A reunião foi orientada pelo delegado provincial do Zaire do Ministério do Interior, Manuel Gouveia, durante a qual os participantes foram brindadas com duas palestras que abordaram temas relativos à “gestão dos sistemas e níveis de informação operativa no sector”, assim como ao “regime disciplinar em vigor”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA