Visita do Presidente ao Museu Centro de Ciência constitui destaque

Presidente José Eduardo dos Santos (no centro) visita Museu Centro de Ciência e Tecnologia (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos (no centro) visita Museu Centro de Ciência e Tecnologia (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos (no centro) visita Museu Centro de Ciência e Tecnologia (Foto: Francisco Miudo)

A visita de trabalho que o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, efectuou às obras do futuro Museu Centro de Ciência e Tecnologia de Luanda, constituiu a manchete dos factos políticos difundidos na semana, que hoje, sábado, termina.

José Eduardo dos Santos recebeu informações detalhadas sobre a execução física da obra, aquisição, instalação e manutenção dos equipamentos, formação dos recursos humanos, bem como o modelo de gestão e legislação que deverão estar finalizados antes da inauguração do edifício.

No âmbito da jornada, o Titular do Poder Executivo aproveitou a oportunidade para se inteirar da situação dos edifícios adjacentes, que se integram no património cultural nacional, e de outros que se encontram em avançado estado de degradação.

Mereceu também destaque, nos últimos sete dias, a segunda reunião extraordinária conjunta da Comissão Económica e da Comissão para a Economia Real do Conselho de Ministros, que foi orientada pelo Chefe do Executivo, José Eduardo dos Santos.

Na sessão foram analisadas questões de carácter socioeconómico, a carta do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, ao estadista angolano, José Eduardo dos Santos, sobre o processo de paz na República Centro Africana (RCA), entre outras matérias.

Dos assuntos discutidos, realce vai para os documentos do Ministério dos Transportes ligados ao memorando de entendimento para implementação de cinco plataformas logísticas em Massabi (Cabinda), Luvo (Zaire), Luau (Moxico), Santa Clara (Cunene) e Luanda, bem como do pelouro de Geologia e Minas, relacionado ao projecto Luaxe (ENDIAMA E.P).

O projecto Luaxe da ENDIAMA E.P está situado a cerca de 20 quilómetros de Cataoca (Lunda Norte) e é o maior kimberlito actualmente descoberto na República de Angola, que vai duplicar a capacidade de produção de diamantes no país.

Na semana que hoje finda, o Presidente José Eduardo dos Santos enviou uma mensagem ao homólogo da RD Congo, Joseph Kabila, de que foi portador o ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Chikoti.

Fez igualmente eco, o encontro que o vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, manteve com o enviado do Presidente norte-americano, Princeton Lyman, com quem abordou aspectos atinentes à participação angolana na operacionalização da força africana de manutenção da paz.

No final da audiência, o enviado de Barack Obama falou à imprensa sobre a cooperação entre a Organização das Nações Unidas (ONU) e a União Africana (UA), destinada a garantia da paz e estabilidade em África.

Com o mesmo propósito, o político norte-americano reuniu-se separadamente com o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, e com o secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

Ainda no decurso da semana, o secretário de Estado das Relações
Exteriores, Manuel Augusto, entrevistou-se com o embaixador do Brasil em Angola, Norton de Andrade Rapesta, com quem examinou aspectos ligados ao reforço das relações entre os dois países lusófonos.

Outro facto de realce divulgado nos últimos sete dias,
foi a absolvição, pelo Tribunal de Luanda, dos três cidadãos
acusados de estarem envolvidos, em 2014, na morte do tenente-general
das Forças Armadas Angolanas (FAA) na reserva, Diogo Manuel da Fonseca “Mucongo”, por insuficiência de provas.

De acordo com o juiz da causa, Januário José, em virtude de não ficar provada em tribunal as acusações do assassinato, por disparos com arma de fogo, seguido de roubo de valores monetários, os réus Gabriel Pedro Sumbula “Puto Boy”, Áureo dos Santos Miranda e Pedro Manuel Francisco “Timba Timba”, ficam absolvidos.

Também dominaram as manchetes políticas, as declarações do embaixador da República Popular Democrática da Coreia, Kim Hyon IL, segundo as quais as relações entre Angola e o seu país mantêm-se excelentes e continuam a desenvolver-se conforme o desejo e a expectativa de ambos os povos.

De acordo com Kim Hyon IL, que falava na cerimónia alusiva ao 67º aniversário da fundação da República Popular Democrática da Coreia, assinalado a 9 de Setembro, as relações entre os dois países são históricas e cada vez mais reforçadas no âmbito da cooperação existente.

Constituiu igualmente destaque, a abertura das jornadas comemorativas do 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, que estão a ser assinaladas em todo o país e nas representações diplomáticas no estrangeiro com actividades políticas, culturais e desportivas.

As manifestações, que vão decorrer até ao próximo dia 20, visam enaltecer a figura e a obra de António Agostinho Neto, reverenciar a sua contribuição em prol da libertação de Angola e de África, em particular a Região Austral.

António Agostinho Neto foi também um grande intelectual e ilustre homem de letras, sendo a sua obra poética plenamente reconhecida pelos seus pares em Angola e além-fronteiras.

Nascido a 17 de Setembro de 1922, na localidade de Kaxicane (Angola), Agostinho Neto morreu em Moscovo, capital da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), a 10 de Setembro de 1979, por doença. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA