Vida e obra de Agostinho Neto carece de mais divulgação

HISTORIADOR ALBERTO SEHULULO (Foto: Angop)

Huambo – Os feitos do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, carecem de mais divulgação, para tornarem-se perpétuos e mais conhecidos, considerou nesta quinta-feira, na cidade do Huambo, o historiador Alberto Sehululo.

HISTORIADOR ALBERTO SEHULULO (Foto: Angop)
HISTORIADOR ALBERTO SEHULULO (Foto: Angop)

Em declarações à Angop, acerca da vida e obra do fundador da Nação, desafiou as escolas do ensino de base a criarem programas específicos que visam dar a conhecer aos alunos o contributo prestado por António Agostinho Neto ao país.

O docente de história no Instituto Superior de Ciências de Educação da província do Huambo considerou o primeiro Presidente angolano como figura incontornável da história do país e de África, pela sua contribuição na descolonização de muitos povos.

Disse que, pela sua dimensão histórica internacional, os seus feitos precisam ser mais difundidos e exaltados, cada vez mais, sobretudo no país.

Realçou que António Agostinho Neto também destacou-se na arte literária, escrevendo poemas, muitos dos quais reforçaram o sentimento de unidade nacional e patriotismo, tendo sido um nacionalista que representou, respondeu e incarnou os anseios do povo angolano.

Para si, o proclamador da Independência Nacional entendeu, com muita profundidade, aquilo que os angolanos queriam quando estavam sob o jugo do colonialismo português.

Ainda na senda das celebrações da data, cerca de 100 membros do secretário municipal da JMPLA no município da Conda, província do Cuanza Sul, participam a partir desta sexta-feira numa excursão turística.

Em declarações à Angop, o primeiro secretário municipal da JMPLA na Conda, Fortuna Pinto Pagamento, disse que a excursão visa elevar o conhecimento dos jovens sobre a importância do dia do Herói Nacional, bem como apresentar os seus feitos em prol da nação angolana.

Referiu  que durante três dias os participantes vão abordar temas relacionados à vida e obra do primeiro Presidente de Angola, os ganhos dos 40 anos da independência no município da Conda em vários sector da vida sócio-ecónomica da região, a juventude e o patriotismo, bem como as doenças transmissíveis sexualmente, entre outros.

A excursão turística é uma iniciativa do secretariado do Comité municipal do MPLA.

De igual modo, a dimensão de António Agostinho Neto, que se distinguiu no campo cultural, político, diplomático e da estratégia política e militar foi destacada nesta quinta-feira, na cidade do Lobito, durante uma palestra.

Ao orientar a palestra sobre o tema “a dimensão estratégia de Agostinho Neto”, que marcou a abertura da jornada comemorativa do Herói Nacional (17 de Setembro), o professor de história, Bline Lopes, afirmou que Agostinho Neto distinguiu-se igualmente como médico.

Para si, destacar momentos e ensinamentos do Presidente Agostinho Neto não é fácil quando se está a lidar com uma figura de tão elevada dimensão humanista, cultural, histórica e universal, visto que alguns dos seus pronunciamentos mantêm-se ate hoje na actualidade.

Lembrou como alguns dos grandes feitos de Neto a proclamação da independência nacional e o hastear da nova  bandeira nacional, enquanto a Norte e Sul da capital do país se travavam combates contra invasores que pretendiam impedir a independência de Angola.

“A decisão de Agostinho Neto deslocar-se a Kinshasa, ao encontro de Mobutu, para fazer a paz, contrariando os  receios de seus camaradas e da população em geral foi outro dos episódios da vida de Agostinho Neto”, disse.

Participaram do acto promovido pela administração municipal do Lobito, entre outras individualidades, membros do conselho de auscultação e concertação social, entidade tradicionais, religiosas e organizações não-governamentais.

Para saudar a data, estão ainda agendadas actividades de carácter social, politica, cultural e recreativa. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA