UE satisfeita com aplicação da ajuda na ilha cabo-verdiana do Fogo

Cabo Verde bandeira (D.R)
Cabo Verde bandeira (D.R)
Cabo Verde bandeira (D.R)

A missão da União Europeia (UE) que esteve, quarta-feira, na ilha cabo-verdiana do Fogo para se inteirar dos projetos de apoio às vítimas da erupção vulcânica de novembro passado, declarou-se satisfeita com a forma como as autoridades do país estão a aplicar os três milhões de euros concedidos para o efeito pela UE.

Em declarações aos jornalistas no final de uma visita à localidade de Chã das Caldeiras, a mais afetada pela erupção vulcânica, o chefe da missão e diretor-geral  da Cooperação da UE, Fernando Frutuoso, reconheceu que Cabo Verde “está a usar corretamente a contribuição, nomeadamente, na reabilitação das habitações para as famílias desalojadas.

Fernando Frutuoso disse ainda que a forma como o dinheiro está a ser aplicado corresponde às necessidades das populações de Chã das Caldeiras.

Na deslocação à ilha do Fogo, Fernando Frutuoso, que esteve acompanhado pela diretora da Cooperação para o Desenvolvimento e Ação Humanitária do Luxemburgo, Marine Schommer, visitou as obras de reabilitação e ampliação das 110 moradias para receber a população deslocada na sequência da erupção de 23 de novembro de 2014.

A missão conjunta da União Europeia e do Luxemburgo esteve em Cabo Verde durante dois dias para avaliar no terreno o andamento dos projetos de cooperação de que são financiadores.

No entender de Frutuoso, Cabo Verde alcançou, ao longo dos 40 anos de cooperação com a UE, uma “história de sucesso, economia estável” e tornou-se num “país exemplar”, apesar de  ser um país com poucos recursos naturais.

O director-geral da Cooperação da UE, fez estes pronunciamentos no final de uma reunião, na cidade da Praia, com uma delegação cabo-verdiana chefiada pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros, Maria de Jesus Miranda.

Por seu turno, a diretora-geral da Cooperação para o Desenvolvimento e Ação Humanitária do Grão-Ducado do Luxemburgo, Martine Schommer, avançou que, com o novo Programa Indicativo de Cooperação assinado em março deste ano, o seu pais vai continuar a apoiar Cabo Verde na orientação e acompanhamento do seu processo de transformação e desenvolvimento.

Durante a estada em Cabo Verde, Fernando Frutuoso de Melo e Martine Schommer visitaram o Centro de Energias Renováveis e de Manutenção Industrial (CERMI), a Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde (EHTCV) e o Aterro Sanitário no Concelho de São Domingos, todos projetos financiados no âmbito da cooperação com a UE e o Luxemburgo. (Panapress)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA