Tribunal moçambicano absolve académico e jornalista

Economista Nuno Castel-Branco (IESE)
Economista Nuno Castel-Branco (IESE)
Economista Nuno Castel-Branco (IESE)

O académico Nuno Castel-Branco e o jornalista Fernando Mbanze eram acusados de crime contra a segurança do Estado e de abuso da liberdade de imprensa, respectivamente. Eles foram absolvidos esta quarta-feira (16.09).

O Tribunal Judicial do Distrito de Kampfumo, em Maputo, absolveu esta quarta-feira (16.09) o economista moçambicano Nuno Castel-Branco e o jornalista Fernando Mbanze.

O caso está relacionado com uma carta aberta que Castel-Branco escreveu a Armando Guebuza, publicada em Novembro de 2013 na rede social Facebook. O economista acusava o então Presidente da República de estar “fora do controlo”. Dizia ainda que Guebuza empurrara o país novamente para a guerra, face aos confrontos entre as forças de defesa moçambicanos e os militantes do braço armado da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), o principal partido da oposição.

A crítica a Armando Guebuza foi reproduzida na imprensa por Mbanze, editor do diário electrónico Mediafax.

Na véspera da leitura da sentença, a Amnistia Internacional exigiu que as autoridades moçambicanas retirassem “imediata e incondicionalmente” as acusações contra Castel-Branco e Mbanze. Segundo a organização, uma condenação abriria um ” perigoso precedente” no país. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA