“Trambolhão” de 50% nos lucros da banca

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Os dados constantes da recente edição do Banca em Análise, um estudo sobre o sector bancário que vem sendo realizado há dez anos pela consultora Deloitte, vão em linha com os avançados pelo Expansão na última edição do Suplemento Banca, produzido em Julho passado.

A Deloitte confirma a queda dos lucros agregados da banca em 50%, de 91,2 mil milhões Kz, em 2013, para 45,4 mil milhões Kz, no ano passado, ‘arrastados’ pelo efeito dos resultados negativos do ex-Banco Espírito Santo Angola (BESA), sem os quais, segundo a consultora, os resultados líquidos do sector teriam registado um crescimento de cerca de 12%.

O crédito líquido a clientes também aumentou em comparação com o ano anterior, passando o seu valor agregado para 2,9 biliões Kz, mais 8% face a 2013. O Banca em Análise indica que o peso do crédito sobre clientes na estrutura global de activos dos bancos nacionais foi de 41% em 2014. Isto demonstra, em parte, a disponibilidade que a banca continua a ter para apoiar o desenvolvimento da economia e a resolução de alguns problemas sociais.

Os depósitos também cresceram. O total dos depósitos de clientes em 2014 foi de 5,3 biliões Kz, o que corresponde a um crescimento de 15% face a 2013. Entretanto, assistiu- se a uma redução do rácio de transformação entre 2013 e 2014, quando assumiu valores de 58% e 55%, respectivamente.

Uma nota de preocupação vai para o crédito em situação irregular, que continua a crescer. Se em 2013 este crescimento se fixou nos 11,2%, no ano passado aumentou 3,3 p.p., passando para 14,5%. No global, os números registados pela banca no ano passado continuam a demonstrar a solidez de um sector preponderante para o apoio à diversificação e ao crescimento económico do País.

N.E.: A coluna de opinião do director do Expansão, Carlos Rosado de Carvalho, Economia 100 Makas, esteve de férias mas regressa na próxima edição. (expansao.ao)

Por: Francisco de Andrade

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA