Tesoureiro do PT condenado a mais de 15 anos de prisão no Brasil

(REUTERS)
(REUTERS)
(REUTERS)

O juiz Sérgio Moro condenou nesta segunda-feira, 21, o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), no poder,  João Vaccari Neto a 15 anos e quatro meses de prisão, enquanto o ex-director de Serviços da Petrobras, Renato Duque, recebeu uma pena de 28 anos de reclusão.

João Vaccari Neto foi condenado pelo crime de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

O magistrado brasileiro considerou que ele terá recebido cerca de dois milhões de dólares em luvas num contrato assinado pelos Serviços da Petrobras com Consórcio Interpar.

Segundo o juiz, além do valor expressivo em um único contrato, a corrupção “gerou impacto no processo político democrático, contaminando-o com recursos criminosos”.

Outras nove pessoas também foram condenadas na acção, mas a maioria fez um acordo com a justiça e deverá cumprir a pena em casa.

Na sentença, Moro afirma que, mais do que o enriquecimento ilícito dos agentes públicos, “o elemento mais reprovável” do esquema criminoso da Petrobras é a contaminação da esfera política pela influência do crime, com prejuízos ao processo político democrático. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA