Sete jihadistas malianos presos na Costa do Marfim

Militar maliano a patrulhar. (AFP FOTO / KAMBOU SIA)
Militar maliano a patrulhar. (AFP FOTO / KAMBOU SIA)
Militar maliano a patrulhar.
(AFP FOTO / KAMBOU SIA)

Na luta contra o terrorismo, a cooperação entre os serviços de inteligência do Mali e da Costa do Marfim começou realmente a funcionar. Sete malianos, presumidos jihadistas, foram presos recentemente em território marfinense, próximo da fronteira com o Mali onde jihadistas estavam instalados para cometer ataques contra localidades malianas, acabando por ser extraditados para o Mali.

A unidade de combatentes à qual pertencem os sete suspeitos, chama-se Khalid Ibn Walid. Os membros dessa unidade são quase todos malianos orginários do Sul do país e têm como líder, Souleymane Keïta que é activamente procurado e que se encontraria próximo da fronteira guineense. Como a maioria dos últimos detidos, ele combateu, durante a ocupação do Norte do país, ao lado de  Iyad Ag Ghali, líder do grupo islamita Ansar Dine.

Outros membros do Khalid Ibn Walid foram, pelo passado, muito activos na polícia islamita de Tombuctu. As forças especiais dos serviços de inteligência do Mali, peritos na luta contra o terrorismo, já os perseguiam há algum tempo. Aliás sabemos que foi esse mesmo grupo que tentou criar um campo de treino militar em Bamaco, na capital maliana.

De referir que foram encontradas indicações de que esta unidade está na origem dos dois últimos ataques em duas localidades do Sul do Mali, próximas da fronteira com a Costa do Marfim. Segundo os observadores, a detenção de líderes deste grupo poderá ser um duro golpe para o grupo jihadista, que ambiciona instalar-se no Sul. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA