Segundo policia ucraniano morre após confrontos diante do Parlamento

(swissinfo.ch)
(swissinfo.ch)
(swissinfo.ch)

Um segundo policia ucraniano morreu por causa de ferimentos sofridos nesta segunda-feira ante o Parlamento em Kiev, em confrontos entre as forças de ordem e militantes de extrema direita.

Os ultra-direitistas se opunham a uma reforma constitucional, votada na câmara, que concede uma maior autonomia às regiões separatistas pró-russas do leste da Ucrânia, palco de um conflito armado desde Abril de 2014.

“Um novo membro da Guarda Nacional morreu devido aos ferimentos, após a explosão de uma granada”, escreveu em sua conta do Twitter o ministro ucraniano do Interior, Arsen Avakov.

Com este, o balanço dos confrontos é de dois policiais mortos e 141 pessoas hospitalizadas.

A polícia indicou à AFP que entre os internados há 131 agentes, dez deles em estado grave.

Olga Bogomolets, colaboradora do presidente Petro Poroshenko, disse em sua página do Facebook que os feridos mais graves foram atingidos no estômago, nos pulmões e na cabeça após a explosão de uma granada perto da entrada do Parlamento.

As autoridades acusaram os militantes do partido ultra-nacionalista Svoboda pelo incidente, mas eles negaram qualquer envolvimento.

Os distúrbios de segunda-feira não têm precedentes na capital ucraniana desde os protestos pró-europeus da Maidan, reprimidos fortemente pelo regime pró-russo anterior deposto em fevereiro de 2014.

afp_tickers (swissinfo.ch)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA