São Tomé e Príncipe: PM inicia digressão de 15 dias aos Emirados Árabes Unidos, Argélia e EUA

PRIMEIRO-MINISTRO DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, PATRICE TROVOADA. (Foto: Angop)

São Tomé – O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, iniciou segunda-feira uma viagem de 15 dias aos Emirados Árabes Unidos, Argélia e os Estados Unidos da América.

PRIMEIRO-MINISTRO DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, PATRICE TROVOADA. (Foto: Angop)
PRIMEIRO-MINISTRO DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, PATRICE TROVOADA. (Foto: Angop)

Patrice Trovoada desloca-se primeiro aos Emirados árabes Unidos onde pretende mobilizar empresas privadas e autoridades governamentais dos países da região para uma mesa com doadores que o país quer realizar em Londres.

“Terei encontros, sobretudo, com o sector privado, mobilizando essas grandes empresas que convidamos para estarem presente na conferência e falar também com as autoridades dos Emirados Árabes Unidos no sentido de na reunião dos doadores podermos ter a presença não só dos emirados mas também de alguns países da região que nós convidamos”, disse Patrice Trovoada momentos antes de viajar.

Argélia é a segunda etapa da tournée do chefe do governo são-tomense.

“Será uma visita oficial a convite do primeiro-ministro argelino que vai nos permitir reactivar uma cooperação que já há muito tempo tem estado um pouco em banho-maria”, explicou Patrice Trovoada.

Apontou a Argélia como um dos países que nos primeiros anos de independência apoiou o governo de São Tomé e Príncipe em vários domínios, sublinhando nesse âmbito a estação de telecomunicação de São Marçal como “o mais visível” desse apoio.

“Temos em vista voltar a rever todos os aspectos da cooperação que podem ser reactivados”, acrescentou o governante são-tomense que não precisou quanto tempo durará a visita de trabalho a Argélia.

Logo a seguir a Argélia, o chefe do governo são-tomense desloca-se a Nova Iorque para participar na cimeira sobre os objectivos de desenvolvimento sustentável pós 2015 que decorre de 25 a 27 de Setembro.

“Se será ocasião para nós darmos a nossa opinião sobre aquilo que foi feito até 2015. Como sabem muitos dos objectivos não foram alcançados”, lembra o primeiro-ministro.

“No caso particular de São Tomé e Príncipe, nós somos um país que tem vindo a crescer entre 4 e 6 por cento ao ano, mas não conseguimos reduzir a pobreza, não conseguimos reduzir o desemprego”, lamenta o governante.

Patrice Trovoada vai aproveitar a sua presença nesta cimeira para “mais uma vez ter contactos com os nossos parceiros e mobiliza-los no sentido podermos definir o que é que será o plano de ajuda para São Tomé e Príncipe nos próximos anos”, disse. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA