São Tomé e Príncipe: Governo distribui mais de 200 mil redes mosquiteiras

BANDEIRA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE. (Foto:Angop)

São Tomé – O Ministério da Saúde são-tomense iniciou hoje, segunda-feira, uma campanha de distribuição de 200 mil redes mosquiteiras de longa duração impregnadas com insecticida, no valor de 435 mil dólares (390.000 euros – USD 1.00 equivale a Kz 125.00), disse a jornalistas fonte do sector.

BANDEIRA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE. (Foto:Angop)
BANDEIRA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE. (Foto:Angop)

A distribuição das redes mosquiteiras tem como objectivo contribuir para a erradicação do paludismo em São Tomé e Príncipe, onde, segundo o responsável do Programa de Luta contra o Paludismo (PNLP), Hamilton Nascimento, há uma “clara tendência para a redução da mortalidade” devido à doença.

“Há uma tendência da redução da mortalidade, tendo passado de 14 mortos por 100 mil habitantes em 2009 para zero em 2014”, disse.

Mas o Governo diz que há ainda um longo caminho a percorrer para alcançar a erradicação da malária em São Tomé e Príncipe, disse o responsável, referindo que, por isso, decidiu massificar a implementação da distribuição dos mosquiteiros às populações.

Financiada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a campanha abrange todo o país, sendo que esta primeira fase vai decorrer nos distritos de Água Grande, Mé Zóchi e a Região Autónoma do Príncipe.

“É um investimento para a melhoria da saúde em São Tomé e Príncipe, tem um impacto económico e financeiro, pois a luta contra o paludismo é um investimento no desenvolvimento económico, além da componente sanitária”, disse o representante do PNUD, Vilfrido Gil. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA