Responsável considera afastamento do idoso no seio familiar um acto de violência doméstica

ANTÓNIO MASCARENHAS - DIRECTOR DO CIAM (Foto: Joaquina Bento

O director do CIAM (Centro de Imprensa Aníbal de Melo), António Mascarenhas, considerou hoje, quarta-feira, em Luanda, o afastamento do idoso no seio familiar um acto de violência doméstica, que igualmente contribui para a desestruturação familiar.

ANTÓNIO MASCARENHAS - DIRECTOR DO CIAM (Foto: Joaquina Bento
ANTÓNIO MASCARENHAS – DIRECTOR DO CIAM (Foto: Joaquina Bento

O responsável falava durante uma palestra sobreo tema “O abandono do idoso no seio familiar como prática de violência doméstica“, no âmbito do dia mundial do Idoso, a assinalar-se quinta-feira (1 de Outubro).

Referiu que tem sido uma prática corrente na sociedade o aumento de casos de abandono de idosos por parte dos familiares, muitas vezes por razões fúteis.

“Não podemos falar só do combate a violência doméstica quando se verificam casos de agressões físicas ou verbais a esta franja da sociedade, é necessário cuidarmos bem dos idosos pois eles são uma biblioteca viva”, disse.

Sublinhou serem vários os casos conhecidos na sociedade de diferentes práticas em que o idoso é mal tratado no meio familiar e, outros são abandonados em lares de terceira idade privados do carinho da família.

O encontro teve como objectivo divulgar a lei contra a violência doméstica, prevenir o acto de violência, adoptar e implementar métodos para garantir o bem estar e qualidade as vítimas de violência, aumentar a combater a violência sexual contra as meninas, bem como consolidar a nível sectorial os dados contra violência doméstica.

O responsável apelou a sociedade para a mudança da mentalidade quanto ao abandono de idosos, por ser  uma prática repudiável e também factor de destabilização de muitas famílias e, que em nada abona os princípios e os valores da sociedade. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA