Rebeldes sírios treinados pelos EUA entregaram armas a ‘jihadistas’

Vista aérea do Pentágono, em Washington, no dia 6 de janeiro de 2015 (AFP)
Vista aérea do Pentágono, em Washington, no dia 6 de janeiro de 2015 (AFP)
Vista aérea do Pentágono, em Washington, no dia 6 de janeiro de 2015 (AFP)

Rebeldes sírios treinados pelos Estados Unidos entregaram equipamentos e armas para jihadistas da Frente Al-Nosra, braço sírio da Al-Qaeda, admitiu nesta sexta-feira o comando das forças americanas no Oriente Médio (Centcom).

Os rebeldes entregaram “seis pick-ups e parte de sua munição a um intermediário suspeito de pertencer à Frente Al-Nosra, algo em torno de 25% de seu equipamento”, aparentemente “em troca de sua passagem” por uma zona controlada pelos jihadistas, disse o porta-voz do Pentágono Jeff Davis.

O coronel Patrick Ryder, porta-voz do Centcom, que supervisiona os esforços contra o grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, confirmou que os combatentes entregaram os equipamentos para poder passar em segurança em uma área de operações da Al-Nosra.

“É muito preocupante e supõe uma violação das directrizes do programa de treinamento e equipamento na Síria”, conhecido como NSF (New Syrian Forces, Novas Forças Sírias).

“Estamos empregando todos os meios possíveis à nossa disposição para investigar exactamente o que ocorreu e determinar a resposta apropriada”, completou Ryder.

Os primeiros 54 combatentes formados no NSF foram atacados pela Al-Nosra em Julho, e o Pentágono ignora seu destino.

Um segundo grupo, composto por 70 rebeldes, entrou na Síria no fim de semana passado e teria desertado, entregando suas armas à Al-Norsa.

Na quarta-feira, o Pentágono havia desmentido a passagem de rebeldes moderados sírios treinados e equipados por esta instituição para o lado da Frente Al-Norsa, como revelaram informações que circularam pelas redes sociais.

“É completamente falso que tenham ocorrido deserções, ou que tenham entregado armas… Acreditamos que as declarações para essas finalidades são falsas”, declarou Jeff Davis. “Todas as armas e equipamentos” entregues aos rebeldes “estão sob seu controle”.

No início do ano, os Estados Unidos lançaram este programa para treinar e armar rebeldes moderados da Síria com o objectivo de combater o grupo jihadista EI. O projecto – com um orçamento de 500 milhões de dólares – planeava formar anualmente 5.400 homens durante três anos. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA