“PSD tem tentado converter eleições num referendo a Sócrates”

José Lello (D.R)

José Lello diz que já praticamente não tem inimizades no PS. “Já só tenho uma, a Ana Gomes”.

José Lello (D.R)
José Lello (D.R)

Aos 71 anos, José Lello vai deixar a Assembleia da República. Depois de anos no Parlamento e em governos socialistas, a política passa agora para segundo plano. Mas o momento atual merece ainda reflexões por parte de José Lello.

Em entrevista ao jornal i, José Lello fala das legislativas, e acusa Passos Coelho e o PSD de terem “estado consecutivamente a levantar a questão Sócrates, convertendo as eleições em referendos a José Sócrates”. E após as europeias, Lello deixa aviso à coligação para as legislativas: “tem-lhes corrido mal, arriscam-se a perder”.

Sobre a opção de António Costa de manter José Sócrates afastado da campanha, diz o socialista que Costa “não tinha necessidade”. As pessoas compreenderiam inclusive a visita ao ex-primeiro-ministro, atualmente em prisão domiciliária, como amigo, defende: “Não o afetaria politicamente”.

José Lello, que esteve com Sócrates na noite do debate do debate televisivo entre Costa e Passos, no passado dia 9, diz ainda que “Sócrates festejou, de uma forma veemente”, a vitória de Costa no debate. “Ele festeja sempre pelo PS”. Mas deixa críticas a um outro ex-secretário-geral do partido.

António José Seguro é criticado por Lello nesta entrevista, com o socialista a considerar que Seguro “devia ter feito também qualquer tipo de consideração, se não fosse em relação a António Costa, em relação ao PS. Uma palavra pública ficava-lhe bem”, diz, acrescentando que tinha estado “no outro dia com ele e ele falava”. Como “não perdeu a voz”, considera Lello que uma palavra de apoio de Seguro ao PS “ficava-lhe bem”.

Já sobre as legislativas do próximo dia 4 de outubro, diz o ex-governante que acha “que o PS vai ganhar. Seria uma frustração grande se não ganhasse”.  (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA