Protestos antagônicos devem marcar Dia da Independência

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Grupos a favor do impeachment de Dilma e Grito dos Excluídos convocam manifestações simultâneas em Brasília. Forte esquema de segurança é montado para desfile militar, que contará com a presença da presidente.

As comemorações dos 193 anos da Independência do Brasil, nesta segunda-feira (07/09), devem ser marcadas por manifestações contra e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff em Brasília.

A 7ª Marcha contra a Corrupção foi organizada pelo Movimento Brasil Contra a Corrupção, com a concentração marcada para as 8h da manhã no Museu Nacional de Brasília. O grupo Revoltados On Line também convocou nas redes sociais um protesto em frente ao Congresso Nacional para a manhã desta segunda-feira. Movimentos anti-Dilma pediram que os participantes vistam preto em vez de verde e amarelo.

Do outro lado, movimentos sociais de esquerda e partidos políticos, como PT e PSOL, promovem o já tradicional Grito dos Excluídos. Conforme o site da Pastoral da Juventude, o 21º Grito dos Excluídos leva às ruas o tema “Que país é esse que mata gente, que a mídia mente e nos consome?”, protestando contra a mídia brasileira e a violência. O Grito dos Excluídos deve servir também como demonstração de apoio à democracia e contra o impeachment da presidente Dilma.

Reforço da segurança

Ameaças na internet fizeram com que um forte esquema de segurança fosse montado para o Desfile da Independência em Brasília, com início marcado para as 8h45 e que contará com a presença da presidente.

Um vídeo divulgado pelo ex-candidato a deputado pelo PSDB Matheus Sathler Garcia aumentou a tensão diante das comemorações. Garcia ameaçou “cortar a cabeça” da presidente se ela não renunciasse até domingo.

Segundo vários sites e jornais brasileiros, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional do Palácio do Planalto, general José Elito Carvalho Siqueira, determinou que a segurança da presidente fosse intensificada durante as comemorações em Brasília.

Protestos anti-Dilma estão previstos também em outras capitais, como São Paulo e Fortaleza. (dw.de)

MP/lusa/ots

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA