Passos canta, com Portas ao lado, “Amigos para Sempre”

(D.R)
(D.R)
(D.R)

A manhã da campanhada coligação PSD-CDS começou com música da tuna do Instituto Politécnico de Bragança.

Foi um momento alto de sátira política, embora os estudantes tenham garantido que foi mesmo “coincidência”. Cantaram para Passos Coelho e Paulo Portas um emocionante “Amigos para Sempre”, transportando à memória de muitos a demissão “irrevogável” de Portas. Mas isso é passado e nem Pedro nem Paulo querem mais falar no assunto.

A canção falava nas amizades que tinham de “ser para sempre” e em resposta ao DN, sobre se “na política elas podem ser para sempre ou são de ocasião”, Passos Coelho não disse que não: “Já tive oportunidade na vida política de construir amizades muito sólidas e tenho sempre uma grande disponibilidade para isso. Mas tenho pouca preocupação agora com o passado e os meus olhos estão postos no futuro. E acredito que atitude idêntica é partilhada por Paulo Portas”, sublinhou.

Momentos antes, o DN tinha perguntado ao presidente do CDS se achava que aquela canção, que é o hino oficial do Instituto, tinha sido dedicada a si e a Passos. “A canção foi dedicada a todos os estudantes do Instituto Politécnico que estão longe das suas famílias e sabem valorizar a amizade”, respondeu.

Foi um momento de descontração da campanha Portugal à Frente, principalmente quando viram o seu líder a cantar com a tuna. Passos confessou depois que “provavelmente não o devia ter feito”, pois a sua voz não está “nas melhores condições”. De qualquer forma, reconheceu, “foi uma boa oportunidade de matar saudades de uma coisa que gosto, que é cantar”.

A inspiração da canção acabou até por ter influência na agenda de campanha. Por coincidência, foi cancelado o desdobramento de Portas previsto para a tarde. O líder centrista separar-se-ia de Passos para ir a Braga. Foi cancelado e decidido que passam o dia juntos, até ao comício final, à noite, na terra natal de Passos Coelho, em Vila Real. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA