Novas imagens de Plutão surpreendem Nasa

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Novas imagens de Plutão, transmitidas nos últimos dias pela sonda espacial New Horizons, revelam uma diversidade e complexidade de relevos desconcertantes, jamais observada no sistema solar, disseram neste sábado pesquisadores da Nasa.

“Se um artista tivesse representado este Plutão antes da missão da New Horizons – que obteve sua aproximação máxima do planeta-anão em 14 de Julho – provavelmente teríamos achado que estava alucinado, mas a realidade é esta”, disse o principal cientista do programa, Alan Stern, do Southwest Research Institute (SwRI).

“Plutão nos mostra uma diversidade de relevos e uma complexidade de formações geológicas jamais observados no sistema solar”.

Geologicamente, “a superfície de Plutão é tão complexa como a de Marte”, avaliou o geólogo Jeff Moore, um dos membros da missão.

As últimas imagens revelam, ao que parece, dunas e caminhos de nitrogénio sólido descendo das regiões montanhosas para uma rede de vales.

As imagens também trazem vastas zonas montanhosas com um relevo caótico, que recorda algumas regiões de Europa, uma das luas geladas de Júpiter.

Podem haver gigantescos blocos de gelo flutuando em um vasto depósito, mais denso, de nitrogénio sólido, que se encontra em uma planície baptizada de “Sputnik Planum”.

– O mistério das dunas –

Estas novas imagens mostram partes de Plutão com a maior densidade de crateras já observada no planeta-anão, próximas a planícies congeladas, mais recentes geologicamente e quase sem crateras.

“Se forem efectivamente dunas que observamos em Plutão será realmente surpreendente, já que a atmosfera do planeta-anão é demasiado fina para produzir ventos”, disse Bill McKinnon, da Universidade Washington de St Louis, um dos cientistas da missão.

“Ou Plutão teve uma atmosfera mais densa no passado ou ocorrem outros processos que não conhecemos; isto é um quebra-cabeça”.

As novas imagens também revelam que os vapores atmosféricos em torno de Plutão, que se elevam a até 130 km de altitude, são formados por muito mais camadas do que acreditavam os cientistas.

A névoa que circunda o planeta cria um esplendor que ilumina sua superfície ao entardecer.

Plutão está situado no cinturão de Kuiper, um grande depósito de detritos além da órbita de Neptuno, e é bombardeado por asteróides regularmente.

A New Horizons vai continuar a transmitir dados colectados até o final de 2016. A sonda está actualmente a 12,5 milhões de quilómetros além de Plutão, mergulhando no Cinturão de Kuiper. (AFP)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA