No último ano saíram 45 motoristas da Carris em troca de melhores salários

(Jornal de Nrgócios)
(Jornal de Nrgócios)
(Jornal de Nrgócios)

As saídas dos trabalhadores tiveram lugar no último ano, com jovens motoristas a procurar salários mais altos no Reino Unido, noticia o Público. O sindicato aponta que a falta de motoristas está a deixar os transportes no “limiar da circulação”.

A Carris perdeu 45 motoristas no espaço de um ano. Estes trabalhadores trocaram a transportadora rodoviária por empregos no Reino Unido em busca de melhores salários. A notícia é avançada pelo jornal Público esta quarta-feira, 9 de Setembro.

Até ao momento a Carris ainda não procedeu a contratações para aumentar o  número de motoristas, o que está a deixar a empresa no limiar da circulação, conforme disse Sérgio Monte, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITA). Esta situação deixou a empresa com menos trabalhadores, o que está a provocar longas filas de espera nas paragens de autocarro da empresa, principalmente na hora de ponta.

A maioria dos trabalhadores que deixaram a empresa têm idades entre os 25 e os 30 anos. Por isso, como têm poucos anos de serviço “não chegam a ganhar 900 euros por mês”, o que leva a que “procurem colocações e melhores salários noutros países”.

A Carris confirma o número de saídas da empresa e diz que “devido à falta de motoristas” tornou-se necessário reajustar carreiras devido a “algum absentismo” e às “greves decretadas às horas extraordinárias”.

A empresa sublinha também que, sendo pública, encontra-se desde 2001 sob “medidas de contenção de admissões”. Mas destaca que está a preparar-se para solicitar autorização de lançamento, a curto prazo, de um processo de recrutamento de novos motoristas”. (Jornal de Nrgócios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA