Namibe: Governante exorta aos novos quadros maior responsabilidade e empenho nas tarefas atribuídas

quadros do governo tomam posse (Foto: Anabela do Céu Fritz)
quadros do governo tomam posse (Foto: Anabela do Céu Fritz)
quadros do governo tomam posse (Foto: Anabela do Céu Fritz)

O vice-governador da província do Namibe para área Técnica e Infraestrutura, António Correia, exortou hoje nesta cidade, aos novos quadros recentemente nomeados e empossados hoje, maior responsabilidade e empenho nas tarefas que lhes forem atribuídas, dando assim cumprimento dos desafios do governo no que tange a melhor prestação de serviço aos cidadãos.

No referido acto o governante conferiu posse aos chefes de secção das direcções provinciais das Obras públicas e Energias e Águas.

Para as obras publicas tomaram posse Bento Agostinho dos Santos para o cargo de chefe de secção de elebaoração de projectos e fiscalização, Manuel Augusto chefe de secção de supervisão, Pascoal Machado Aveiro dos Santos chefe de secção de administração, gestão do orçamento e José Gaspar Lopes chefe de secção de Planificação e Recursos Humanos.

Na direcção Provincial de Energia e Águas foram conferidos posse Loth Calenga Chihongo para chefe de secção de planificação e recursos humanos, Paulo Jamba e João Samdongo Mendes para os cargos de chefes de secção de supervisão, regulamentação, avaliação da rede de distribuição e tarifas e por último Judi José Francisco chefe de secção de energia e Águas deste sector.

Apos a tomada de posse o vice-governador António Correia disse que o sector de Energia e Águas joga um papel fundamental no que tange as atribuições das futuras autarquias locais.

“Precisamos de fornecer estes serviços quer nas zonas urbanas como rurais, os chefes de secção na perspectiva de emprego e de organização administrativa é um órgão pensante e também de execução. Não farão um melhor serviço os directores provinciais senão tiverem chefes de departamentos avisados e chefes de secções que atuem com destreza e desempenhem fundamentalmente o seu trabalho”, disse.

Disse ainda que a sua actividade deve ser feita no terreno e não nos gabinetes,“porque é no terreno onde temos água, energia e é no terreno onde se constrói as casas “

Para os técnicos ligados as obras publicas pediu maior desdobramento nas suas actividades laborais fazendo um trabalho de acompanhamento mais asiduos nas diversas obras que se desenvolvem na província, não só as de âmbito publico mas também aquelas de carácter privado.

“As cidades tem idade e também têm a sua forma de estar e precisamos de monitorar para que não tenhamos o crescimento urbano desordenado e a ocupação ilegal dos espaços”, acrescentou.

Referiu ainda que este organismo desempenha um papel fundamental no que concerne ao acompanhamento dos técnicos que executam diversas obras nesta urbe e também na periferia, e para tal é necessário ter quadros qualificadas de modo a que as identificações a serem feitas adequam as técnicas construtivas existentes.

Para os quadros ligados aos serviços administrativos também nomeados aconselhou a manusearem de forma clara os recursos aloucados, não servindo apenas para compra de papéis e tonéis mas também canalizados para função e atribuição que cada sector tem.

“ Temos que desempenhar o nosso papel regulador e de orientação as comunidades para que possam cumprir com as diretrizes e orientações do governo. A base do nosso trabalho são as leis e recomendo que os chefes de secções aqui promovidos a partir de agora tenham esta vocação porque só fara o melhor trabalho o funcionário publico ou agente administrativo que conhecer as leis aplicáveis as suas tarefas dos seus sectores”, recomendou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA