Mulheres incentivadas a serem activas em prol dos sindicatos

Manuel Viaje - Secretário Geral da UNTA-CS (Foto: Joaquina Bento)
Manuel Viaje - Secretário Geral da UNTA-CS (Foto: Joaquina Bento)
Manuel Viaje – Secretário Geral da UNTA-CS (Foto: Joaquina Bento)

O Secretário-geral da União dos Trabalhadores Angolanos – Confederação Sindical (UNTA-CS), Manuel Augusto Viage, incentivou hoje, segunda-feira, em Luanda, as mulheres trabalhadoras a manterem-se activas nas empresas, participando nas assembleias e integrando as equipas de negociações elevando a equidade do género.

Manuel Viage falava na abertura da IV conferência de balanço e renovação de mandatos do Comité Nacional da Mulher Sindicalizada, tendo em vista o 5º congresso da Unta-CS, a realizar-se em Setembro próximo.

Segundo o responsável, estarão a trabalhar no plano sindical pela equidade do género e a incorporar os trabalhadores sem discriminação na luta por melhores condições de trabalho e em busca da justiça e do bem-estar social.

Acrescentou que para as mulheres sindicalizadas uma correcta gestão dos comités poderá influenciar na boa gestão das comissões sindicais, a exemplo do que cada mulher tem no seu lar.

Considerou que todos os angolanos são chamados a dar a sua contribuição a reconstrução nacional de forma activa e organizada, bem como trabalhar para maior acção sindical na defesa da igualdade de direitos e oportunidades dos trabalhadores.

Na conferência será eleita a nova direcção que vai dirigir o comité nos próximos cinco anos e que tem a cabeça Maria Fernando, que concorre a sua própria sucessão, numa lista única.

Para Maria Fernando o seu programa de acção se consubstancia em realizar acções sindicais para aumentar a filiação das mulheres nas associações sindicais e, garantir a integração da camada feminina trabalhadora nas acções reivindicativas para que os seus direitos sejam melhor interpretados e respeitados.

Realizar estudos sobre igualdade de direitos e oportunidades no trabalho para identificar os estereótipos sociais e todos os actos discriminatórios contra as mulheres, fazem parte do programa de acção.

Participam nesta conferência 174 delegadas oriundas de todas as províncias do país.

A terceira conferência aconteceu em 2010. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA