Boxe conquista medalha de Bronze

(D.R)

Pugilista angolano está inconformado com a arbitragem dos Jogos Africanos.

(D.R)
(D.R)

Um misto de satisfação e indignação é o sentimento que vive o pugilista angolano Pedro Gomes, depois de arrebatar a medalha de bronze dos 11º Jogos Africanos que decorrem em Brazzaville, República de Congo, na categoria dos 56kg. A satisfação, por ter feito o boxe voltar às medalhas, depois de Gregório Capita ter conseguido o bronze em Abuja’2003. Indignação, porque mais uma vez o combate teve uma arbitragem tendenciosa que lhe deu um resultado adverso ao que se passou no ringue.

Desde ontem no país, Pedro Gomes exteriorizou os sentimentos. “Sinto-me alegre, muita satisfação, mas um pouco indignado, porque não devia ser esta a medalha que deveria trazer. Praticamente me deram esta medalha. Trocaram a minha medalha.  Sei que a minha medalha é outra. Fico confortado, porque todos os presentes no pavilhão, inclusive adeptos congoleses, me felicitaram e reconheceram que esta não era a minha medalha pelo meu valor, por tudo o que o combate deu”, disse.

O boxe angolano participou nos jogos com três atletas. Adilson Ramiro (64kg) e Vidal Raimundo (75kg) foram afastados nas preliminares.Pedro Gomes, filho do antigo campeão mundial Manuel Gomes, inscreve assim o seu nome no historial da modalidade como o segundo atleta angolano a trazer a medalha de bronze dos Jogos Africanos, depois de Gregório Capita o ter feito na Nigéria, em 2003.O presidente da Federação Angolana de Boxe, Carlos Luís, faz balanço positivo da prestação da modalidade, embora lamente a “roubalheira” de que foi alvo Pedro Gomes no último combate.

“Em condições normais, o ouro desta categoria seria nosso. Houve pessoas ligadas ao Ministério da Juventude e Desportos a assistirem ao combate e viram o que se passou. Devo dizer que não foi só com o Pedro Gomes, mas, no geral, quase todos os combates em que intervinham atletas da África subsaariana diante de magrebinos eram prejudicados pela arbitragem. Fazemos balanço positivo, conscientes de que, se tivéssemos uma equipa completa nos jogos, teríamos mais resultados positivos. Infelizmente, levamos apenas três atletas”, concluiu.

PRÉMIO

A família da modalidade regozija-se com a medalha conseguida por Pedro Gomes e tem-se manifestado de distintas maneiras em solidariedade com os seus representantes.Simão Muanda, antigo pugilista e campeão nacional e da zona 6, juntou-se aos feitos de Pedro Gomes e ofereceu um prémio de 50 mil Kwanzas ao atleta afecto ao Interclube.”Tinha-lhes prometido que quem chegasse à medalha de ouro teria um prémio de 150 mil kwanzas. Se fosse a prata seriam 100. Como chegou ao bronze, então o prémio é 50 mil kwanzas. Esta é uma iniciativa pessoal com o intuito de dizer aos mais jovens que estamos com eles e que devem continuar a trabalhar”, disse o antigo campeão. (Jornal dos Desportos)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA