Moçambique: Acordos de parcerias económicas vão aproximar empresas moçambicanas e europeias

BANDEIRA DA UNIÃO EUROPEIA (UE) (Foto: Angop)

Maputo – Os acordos de parceria económica entre a União Europeia (UE) e países da África Austral, incluindo Moçambique, serão uma oportunidade, a partir do próximo ano, para aumentar as relações empresariais, considerou quinta-feira o representante do bloco europeu em Maputo.

BANDEIRA DA UNIÃO EUROPEIA (UE) (Foto: Angop)
BANDEIRA DA UNIÃO EUROPEIA (UE) (Foto: Angop)

“É uma boa notícia para o sector privado”, declarou o chefe da delegação da UE em Maputo, Sven von Burgsdorff, falando num encontro em Maputo promovido pelo Hotel Cardoso e pelo European Business Club, que reúne as câmaras de comércio europeias em Moçambique.

Perante empresários e representantes de oito câmaras de comércio europeias, Sven von Burgsdorff assinalou a importância do acesso, a partir da entrada em vigor dos acordos de parceria económica, a 500 milhões consumidores europeus “no mercado mais importante do mundo”.

O diplomata lembrou que, na relação comercial com a UE, a Moçambique vai perder benefícios inerentes à sua passagem de país menos avançado para país de rendimento médio e que os novos acordos representam novas vantagens.

Os acordos, que marcarão o quadro contratual entre a UE e os países da região da África Austral, prosseguiu o diplomata, serão também uma oportunidade para os países europeus, ao preverem a libertação dos seus produtos, sobretudo industriais e maquinaria.

“Claro que isso também oferece oportunidades para empresas europeias”, vincou o representante da UE, esperando um aumento do fluxo de investimentos em Moçambique “se as condições socioeconómicas se mantiverem ou melhorarem”.

Segundo Sven von Burgsdorff, o acesso a equipamento europeu de alta qualidade por menos custo também contribuirá para o reforço da industrialização de Moçambique, uma das prioridades do Governo moçambicano e da SADC.

Implicam ainda, a transferência de conhecimentos técnicos, aplicação de padrões europeus nos seus produtos, condições de trabalho dignas e formação profissional, além da possibilidade de mais investimento, com efeitos no emprego, disponibilidade de divisas e alargamento da base tributária.

O chefe da delegação da UE salientou o “aumento significativo” do investimento europeu em Moçambique nos últimos três anos, suscitando a abertura de câmaras de comércio e clubes de empresários e sobretudo a criação de postos de trabalho, estimando que essa tendência se acentue com os novos acordos de parceria.

O Governo moçambicano declarou, por seu lado, que “continuará a envidar esforços para promover relações harmoniosas com todos os que cooperam no desenvolvimento do país”, disse o presidente do Instituto para a Promoção de Exportações (Ipex).

O evento foi promovido pelo Hotel Cardoso e o European Business Club, que agrega mais de 300 europeias a operar em Moçambique, através das câmaras de comércio e clubes empresariais da Alemanha, Espanha, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Portugal e Suíça. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA