Ministro da Defesa reafirma reforço da cooperação Angola-China

Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Arquivo) (Foto: Pedro Parente)
Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Arquivo) (Foto: Pedro Parente)
Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Arquivo) (Foto: Pedro Parente)

O Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, reafirmou nesta segunda-feira, em Beijing, o compromisso de Angola de continuar a cooperar com a República Popular da China em diversos domínios, na base da reciprocidade de vantagens.

O dirigente falava durante as conversações entre as delegações dos Ministérios da Defesa dos dois países, acto que marcou o principal momento de trabalho do primeiro dia da visita oficial de seis dias, que realiza ao país asiático.

O governante angolano lembrou que num passado recente a República Popular da China foi o país que mais depressa compreendeu a situação difícil do pós-guerra em que Angola se encontrava (2002), contribuindo no esforço do Executivo Angolano na reconstrução nacional.

“Todos estes antecedentes animam-nos a continuar a estabelecer com este país amigo uma cooperação estratégica construtiva e exemplar, sobretudo no domínio da Defesa, com reciprocidade de vantagens e visando tornar as nossas Forças Armadas mais fortes e mais capacitadas a cumprirem com a sua primordial missão, que é a defesa da Pátria”, disse.

Realçou ainda outras acções do Executivo reafirmadas em Junho último, pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na sequência da sua visita à China, nomeadamente as que dizem respeito à diversificação da economia, com vista ao reforço da produção nacional, reforma tributária em curso e imposição de limitações às importações de alguns bens de consumo e não só, produzidos localmente para impulsionar a produção interna.

No que diz respeito à situação internacional, com relevância para a situação no Continente Africano, João Lourenço reafirmou que Angola tem contribuído na medida das suas possibilidades para a pacificação e democratização dos países da região em que está inserida, pugnando pela resolução dos conflitos através do diálogo.

“O nosso país está engajado a todos os níveis para a paz em África e no Mundo, através da participação activa no Conselho de Segurança das Nações Unidas, da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e da Comunidade dos Países da África Austral”, defendeu o Ministro da Defesa Nacional.

À margem das conversações oficiais, João Lourenço, que se faz acompanhar de uma delegação do seu pelouro, manteve ainda esta segunda-feira um encontro de cortesia com o vice-presidente da Comissão Militar Central, General Xu Qiliang, e visitou a Grande Muralha da China.

A agenda do ministro reserva ainda outras visitas a instituições académicas, empresas e indústriais do ramo militar e lugares históricos, nas províncias de Chengdu e Shanghai.

Integram a delegaçao do Ministro o secretário de Estado para os Recursos Materiais e Infra-estruturas do Ministério da Defesa, Salviano Cerqueira, o embaixador de Angola na China, Garcia Bires, o director nacional das Relaçoes Internacionais do Ministério de Defesa, José de Sousa.

Integram ainda o chefe da Direcção Principal de Armamento e Técnica, Afonso Neto, o presidente do Conselho de Administração da Simprotex, Luis Pizarro, e o adido militar na China, Barbosa Epalanga, entre outros oficiais e quadros do Ministério da Defesa.

Angola e China estableceram relações diplomáticas em 1983 e desde essa data mantêm uma cooperação bilateral considerada estratégica. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA