Militares tomam o poder no Burkina Faso e anunciam demissão do presidente

(euronews.com)
(euronews.com)
(euronews.com)

Um grupo de militares confirmou, esta manhã, ter tomado o poder no Burkina Faso.

Numa declaração ao país, um responsável da guarda presidencial, anunciou a demissão do presidente e a dissolução do governo provisório, para preparar as próximas eleições, previstas para 11 de outubro.

O anúncio ocorre depois do Conselho de Segurança das Nações Unidas ter exigido a libertação imediata dos principais responsáveis políticos do país, sequestrados, desde ontem, por elementos da guarda presidencial.

Um grupo de militares tinha irrompido ontem na reunião de Conselho de Ministros, sequestrando o presidente Michel Kafando, assim como o seu primeiro-ministro e os ministros da Função Pública e do Urbanismo.

Durante a noite, a sede do Congresso para a Democracia e Progresso, o partido do anterior presidente, tinha sido saqueada.

O golpe de estado pretende pôr fim ao processo de transição política, iniciado em outubro do ano passado, depois das manifestações que puseram fim a 27 anos de regime de Blaise Campaoré.

A ação dos militares ocorre dois dias depois de uma comissão para as reformas do estado ter recomendado a dissolução do regimento da guarda presidencial, formado por cerca de 1200 homens e considerado como um “exército dentro do exército”. (Euronews)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA