Maksimovic investe forte na formação

(D.R)

Técnico defende que  os iniciados devem receber outras valências.

(D.R)
(D.R)

O supervisor e coordenador da escola de futebol do Petro de Luanda, o bósnio Miroslav Maksimovic, disse, em entrevista ao Jornal dos Desportos, que um profissional  a orientar iniciados na modalidade deve der bases técnicas suficientes para, com competência, formar jogadores completos à jogar à bola no futuro.

Ele defende que “tudo deve começar nas escolinhas onde os garotos devem apreender a história do futebol,  para poderem compreender que na modalidade há também outros valores complementares, no sentido de, no futuro, atingirem o nível alto de futebolistas”. “O objectivo é dar a educação através da aprendizagem, poder transmitir valores, como as boas maneiras dentro e fora do campo, o respeito, o humanismo, são com estes pressuposto que podem formar uma boa equipa amanhã”, acrescentou.

A idade apropriada para se começar aprender estes valores e à jogar futebol é, segundo o treinador, é a partir dos sete anos de idade. “Antes começava-se com dez anos, mas, agora, é a partir dos sete anos, devido à formação óssea do corpo, que deve estar apto para o treino”, esclareceu.” Não devemos apenas nos preocupar com os resultados imediatos. O sucesso na formação de jogadores e obtenção de vitórias obedecem a certos critérios. É como se, por exemplo, com um o bebé  que nasce. Ele tem de engatinhar, andar. Aos cinco anos, entra na escola, faz o ensino primário, secundário, médio, universidade faculdade, depois trabalha e constitui família”, disse.

” O êxito no futebol também segue passos, porque é um processo de maturação”, esclareceu o técnico quando chamado a comentar o facto de muitos clubes com escolas e que almejam logo ter jogadores em tão pouco tempo”, acrescentou.Miroslav Maksimovic defende, que, paralelamente à formação nas suas respectivas escolas, os iniciados de futebol, para desenvolverem outras valências, podem ser influenciados por aquilo que vêem. Neste sentido, encoraja e defende que “os garotos podem, devem mesmo, ter acesso aos jogos do Girabola e internacionais.

A Federação Angolana de Futebol devia permitir a entrada dos garotos nos campos, apresentando os seus cartões de jogadores de escalão de formação”.”É por aí onde vão ver os seus ídolos a jogar, imitando-os, como acontece em toda parte do mundo, de forma, enfim, a começarem a ter a cultura desportiva”, disse, para depois na  mesma esteira sublinhar que por enquanto  não há esse incentivo, mas “também nos jogos do Girabola e internacionais feitos pelas equipas de casa deve-se antes do início serem antecedidos de jogos das escolinhas das equipas em jogo”.

ADULTERAÇÃO DE IDADES
“O combate é de todos”

Miroslav Maksimovic é totalmente avesso ao fenómeno da  adulteração das idades no futebol e, devido a esse mal, defende um combate e punição exemplar.”A responsabilidade para o combate é e terá que ser de todos, desde os pais, professores, treinadores e outras pessoas que conheçam as identidades verdadeiras depois falsificadas dos jogadores. Se assim acontecer teremos muitas possibilidades de controlar a adulteração das idades.”Há mesmo muitos os técnicos que ajudam os garotos a diminuírem as idades para poderem jogar mais anos o que é mau, mas isso administrativamente se os clubes não detectarem, pode acontecer pelo controlo das associações provinciais e depois da federação onde os jogadores são inscritos”, defendeu.

O coordenador da escola dos petrolíferos considera que as selecções nacionais com jogadores saídos das escolas de formação devem ser a partir de sub-10. ” Os clubes devem fornecer os jogadores dessa idade e depois passarem as sub-12, sub-16  etc.”, disse.Miroslav Maksimovic fala com propriedade porque  é um treinador com larga experiência. Nascido na ex-Jugoslávia em 1950, tem formação superior de treinador de futebol, acreditado pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA)  e União Europeia de Futebol Associado (UEFA). Depois de ter jogador em várias equipas da Sérvia e Áustria como defesa central, na carreira de técnico já treinou o FC Bludenz da Áustria, FC Hajduk da Sérvia, FC Ramtha e FC “Al-Wahdat da Jordânia,e FC Ismaila  do Egipto e Petro de Luanda.

QUALIDADES
“Angolano tem talento e futuro garantido”

Miroslav Maksimovic enfatizou  o que o clube petrolífero faz  para que a formação resulte em excelentes jogadores. “Temos um acompanhamento constante, dentro e fora da escola, dos jogadores. Tanto é assim que criamos aquilo a que chamamos de convénio triangular, porque combinamos o que se faz em casa, na escola e no clube”. “É assim que apercebemo-nos e percebemos os eventuais problemas sociais todos nossos atletas das escolinhas, de todas categorias, ajudando depois a corrigi-los, para poderem assimilar os fundamentos da prática de futebol sem sobressaltos”.

Questionado se os formadores do Petro também vão aos bairros sondar crianças com aptidões para depois as integrar nas escolas do clube,  Miroslav Maksimovic esclareceu que ” vamos ao encontro de crianças em muitos bairros de Luanda e depois  fazemos captação de talentos”. “Pelo pouco conhecimento que tenho, existem poucos campos nos bairros de Luanda. Devia-se fazer para se ter mais espaços para que os garotos poderem praticar actividades desportivas, o futebol em particular”, respondeu,  ao ser questionado acerca da escassez  de campos na capital onde muitos deles cederam lugar a estaleiros de empresas de construção.

“O Executivo deve persuadir aos empresários que não ocupem recintos, já são poucos”, encorajou o técnico, sublinhado depois que ” o angolano tem muito talento que, bem aproveitado, pode gerar valores individuais que alegram a Nação, quer no futebol como noutras disciplinas desportivas” .Além da escola do Petro, há em Luanda as dos outros de grandes clubes, e outros de investimentos particulares, como é a Academia de Futebol deAngola. Miroslav Maksimovic está a par do trabalho que se faz nestes locais e confia também que que são viveiros que um dias dão jogadores de qualidade paras as selecções de Angola.”Este é um processo, teremos que ter paciência, porque, o futuro está garantido. O angolano tem genica. É preciso apenas que lhe sejam dadas as de trabalho”, elogiou . (Jornal dos Desportos)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA