Lunda Sul: Exposição e cinema móvel marcam abertura da jornada do Dia do Herói Nacional

Agostinho Neto, Primeiro Presidente de Angola. (Foto: Pedro Parente)

Saurimo – Exposição das obras literária de Agostinho Neto, artesanato, escultura e cinema móvel vão marcar nesta quinta-feira, em Saurimo, província da Lunda Sul, a abertura da jornada comemorativa do “Dia do Herói Nacional”, a assinalar em 17 de Setembro, sob o lema “Angola 40 anos: independência, paz, unidade nacional e desenvolvimento”.

Agostinho Neto, Primeiro Presidente de Angola. (Foto: Pedro Parente)
Agostinho Neto, Primeiro Presidente de Angola. (Foto: Pedro Parente)

A informação foi avançada hoje, quinta-feira, em Saurimo, pelo director provincial da Cultura, António Izumbo, referindo que a jornada será ainda marcada com a realização de uma palestra com o tema “ o papel de Agostinho Neto como nacionalista na luta de libertação de África”.

Segundo o responsável, o objectivo é fortalecer a nação, promover a afirmação do valor central da cultura como base indispensável para o desenvolvimento integral do ser humano e da cidadania.

Na ocasião, apelou a sociedade, em especial a juventude, a participarem em massa nas actividades agendadas para saudar mais um aniversário do Herói Nacional, como forma de homenagem por tudo que fez para o povo angolano.

O dia 17 de Setembro, data de nascimento do fundador e primeiro presidente da República de Angola, António Agostinho Neto, é considerado Dia do Herói Nacional, devido ao seu contributo a luta armada contra o colonialismo português e pela conquista da independência nacional.

O dia instituído feriado nacional em 1980 pela então Assembleia do Povo, um ano após o seu falecimento, em 10 de Setembro de 1979 na antiga União das Republicas Socialistas Soviéticas, deve-se, também, ao reconhecimento do seu empenho na libertação de Angola, em particular, e do continente africano.

Agostinho Neto foi também um esclarecido homem de cultura para quem as manifestações culturais tinham de ser antes de mais a expressão viva das aspirações dos oprimidos, arma para a denúncia dos opressores, instrumentos para a reconstrução da nova vida.

Nascido em 17 de Setembro de 1922, na localidade de Kaxicane, município do Icolo e Bengo, província do Bengo, António Agostinho Neto faleceu a 10 de Setembro de 1979, em Moscovo, por doença. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA