Luanda: Empresas desistem da recolha de lixo por não concordarem com o pagamento do governo

(VOA)
(VOA)
(VOA)

Empresas de limpeza e saneamento da cidade Luanda estão a desistir e a retirar os seus meios das ruas por considerarem que os valores agora fixados pelo governo para esta actividade não cobrem as suas despesas operacionais.

Um especialista de saúde avisa que isto poderá influenciar o aumento de doenças, principalmente no início da época chuvosa.

Maurílio Luyela, médico de clínica geral, acusa o governo provincial de Luanda de não escolher as prioridades certas para os seus investimentos.

A deficiência na recolha de lixo foi reconhecida recentemente pelo empresa de Limpeza e Saneamento da cidade de Luanda (Elisal), responsável pelo novo modelo de limpeza da capital angolana, que está em vigor desde o início deste mês.

O Ministério das Finanças disponibiliza, para a limpeza de toda a província, cerca de 10 milhões de dólares por mês, equivalente a um terço do montante atribuído há cerca de quatro anos.

A limpeza da cidade tem sido alvo de críticas há vários meses pela população de Luanda, que tem publicado fotografias de montes de lixo nas redes sociais.

Na nota de imprensa distribuída em Luanda, a ELISAL lamenta o furto de 20 contentores colocados pela companhia. Outros são retidados das estradas por desconhecidos. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA