Julgamento do Caso Neth suspenso até Outubro próximo

(tpa.ao)

O julgamento dos cinco réus envolvidos no “Caso Neth” (vulgarmente conhecido como caso Gindungo) iniciado na última segunda-feira, na 14ª Sessão dos Crimes Comuns do Tribunal Provincial de Luanda, no município de Cacuaco, foi suspenso.

(tpa.ao)
(tpa.ao)

Fonte ligada ao Tribunal informou hoje, sexta-feira, à Angop, que a sessão reata nos dias quatro e cinco de Outubro com as declarações de Miguel Ventura Catraio, considerado como o mentor moral dos crimes, e Lutumis Lukoki.

Foram já ouvidas as rés Maiamba Brigida Fernando, Maria do Céu, Teresa Albano e Rita de Fátima, acusadas de crimes de roubo qualificado, injúria, difamação e ofensa corporal voluntária.

O julgamento está a ser orientado pelo juiz José Januário Domingos, tendo no primeiro dias sido ouvidas as declarações de Rita de Fátima e Teresa Albano.

O caso decorre do facto de uma cidadã, identificada por “Jussila”, estar a ser acusada de ter agredido e colocado gindungo nos órgãos genitais da amiga, Nikilauda Vieira Dias Galiano “Neth”,  após ter sido encontrada num quarto de hotel, em Luanda, com um homem que ambas estariam a partilhar intimidade.

No dia da agressão, em Abril deste ano,  “Jussila” fez-se acompanhar de um grupo de nove raparigas que gravaram o episódio que acabou sendo partilhado nas redes sociais.  Miguel Catraio é acusado como o principal mentor moral dos crimes. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA