Jogos Africanos: “Com o trabalho que faço só podia ser o ouro” – Judoca Faya

JUDOCA ANGOLANA FÁTIMA FAYA . (foto: Angop)

Brazzaville (Dos enviados especiais) – A judoca Antónia de Fátima ?Faya? afirmou que o trabalho que desenvolve, tendo em conta a qualificação aos Jogos Olímpicos de 2016, só podia resultar na conquista da medalha de ouro nos Jogos Africanos, que decorrem no Congo Brazzaville.

JUDOCA ANGOLANA FÁTIMA FAYA . (foto: Angop)
JUDOCA ANGOLANA FÁTIMA FAYA . (foto: Angop)

Em declarações à imprensa segunda-feira, após a conquista da segunda medalha de ouro para Angola, depois do voleibol de praia domingo, a atleta dos 70 Kg disse que o triunfo diante da tunisina Houda Milled, por Ippon, se deveu a muito trabalho que fez, tendo em conta os erros que cometeu na edição de Maputo2011, em que perdeu com a mesma atleta nas meias-finais.

“Eu agradeço ao povo angolano porque sei que gostam de mim, do meu trabalho e torcem pelo judo. Dedico a vitória para todos eles e viva o judo”, disse a campeã africana.

Faya referiu tratar-se da última participação nestes jogos do continente, porque em 2016 pensa retirar-se dos tapetes, explicando que a sua estreia em provas do género deu-se em 1999 com 16 anos e hoje, com 33, pensa ser tempo de retirar-se.

A atleta, que beneficia de uma bolsa, tendo em conta os torneios qualificativos aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no próximo ano, afirmou que regressa ao país com a sua primeira medalha de ouro que conquista em competições do género, e que dia 29 vai à França para um torneio internacional, seguindo-se a um Open em Portugal e outro nos Emirados Árabes Unidos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA