Huíla: Vice-governador pede vigilância aos criadores de gado

Sérgio da Cunha Velho - Vice-governador da Huíla para o sector Económico (Foto: Manuel Fernandes)
Sérgio da Cunha Velho - Vice-governador da Huíla para o sector Económico (Foto: Manuel Fernandes)
Sérgio da Cunha Velho – Vice-governador da Huíla para o sector Económico (Foto: Manuel Fernandes)

O vice-governador da Huíla para o sector Económico e Produtivo da Huíla, Sérgio da Cunha Velho, solicitou hoje, quarta-feira, na cidade do Lubango, aos administradores municipais e criadores de gado bovino a estarem vigilantes para impedir a entrada de animais infectados pelo vírus da febre aftosa.

Falando no encontro promovido pela Comissão Provincial Multissectorial de Prevenção e Combate ao surto da Febre Aftosa, o responsável disse ser necessário que as administrações municipais criem brigadas no sentido de controlar a entrada de animais afectados pelo vírus da febre aftosa.

“Já se registou alguns focos nas províncias do Cunene e Cuando Cubango. Por isso, temos que estar atentos e vigilantes para que a doença não atinja a nossa província”, alertou.

Sérgio da Cunha Velho considerou ainda importante que as autoridades tradicionais sensibilizem a população a não comercializarem ou levarem o gado fora da província da Huíla, para evitar o contágio da doença.

A província da Huíla tem efectivo ganadeiro estimado em mais de três milhões de cabeças de gado bovino.

O Ministério da Agricultura exarou recentemente um despacho que proíbe o movimento de animais e seus derivados dentro e fora dos municípios do Cuangar e Menongue, província do Cuando Cubango, e Kwanhama, Namacunde e Cuvelai, no Cunene.

A febre aftosa é uma doença infeccio­sa aguda, causada por vírus, sendo uma das mais contagiosas que atin­gem os bovinos, búfalos, ovinos, ca­prinos e suínos.

Causa febre, seguida do aparecimento de feridas, princi­palmente na boca e nos cascos, difi­cultando a movimentação e alimen­tação dos animais. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA