Huíla: Responsável da cultura quer formação permanente de grupos teatrais

MARCELINA GOMES, DIRECTORA DA CULTURA PROVINCIAL (Foto: Angop)

Lubango- A directora provincial da cultura, Maria Marcelina Gomes, advogou domingo, no Lubango, a necessidade permanente de acções formativas para os fazedores de teatro, no sentido de se potenciar a disciplina de representação.

MARCELINA GOMES, DIRECTORA DA CULTURA PROVINCIAL (Foto: Angop)
MARCELINA GOMES, DIRECTORA DA CULTURA PROVINCIAL (Foto: Angop)

A responsável defendeu tal facto à Angop à margem do encerramento do festival provincial do teatro universitário promovido pela Universidade Mandume Ya Ndemofayo, que congregou oito unidades orgânicas públicas e privadas, visando saudar os 40 anos de independência nacional, a assinalar-se a 11 de Novembro deste ano.

De acordo com a fonte, é necessário que os fazedores da arte obtenham técnicas novas de representação em vários genéros do teatro, para que possam contribuir significativamente no processo de educação e ensino no seio das comunidades.

Na ocasião, enalteceu a iniciativa da Universidade Mandume Ya Ndemofayo em promover sessões desta natureza que servam para entreter os jovens para as novas realidades.

Reforçou igualmente a cooperação entre actores provinciais no domínio de troca de experiência sobre as várias maneiras de representação que contribuam para a valorização e divulgação deste elemento no país e no estrangeiro.

“As faculdades devem continuar a desenvolver o teatro universitário para que nos próximos tempos haja maior concorrência entre grupos”, sublinhou.

Venceu a segunda edição do festival de teatro universitário o Instituto Superior Politécnico da Huíla, num certame em que concorreram oito grupos.

O departamento de massificação e artes da representação da cultura controla, actualmente, mais de 50 grupos teatrais entre amadores e profissionais.(portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA