Huambo: Kundi Paihama crítica ingerência externa nos assuntos do país

Huambo: Governador provincial, Kundi Paihama (Foto: Pedro Parente)
Huambo: Governador provincial, Kundi Paihama (Foto: Pedro Parente)
Huambo: Governador provincial, Kundi Paihama (Foto: Pedro Parente)

O governador da província do Huambo, Kundi Paihama, criticou nesta quinta-feira, na vila da Ecunha, 32 quilómetros a oeste desta cidade, a ingerência externa em assuntos do país, que põem em risco a soberania, integridade nacional e a paz conquistada com muito sacrifício pelos angolanos.

Falando no acto que marcou as comemorações do 17 de Setembro, Dia do Heroi Nacional, o governante citou o caso da Eurodeputada Ana Gomes, que, aproveitando-se de informações de alguns agastados, passou mensagens falsas, que não contribuem para o bem-estar dos angolanos.

O governador do Huambo exortou, por isso, os dirigentes de partidos políticos e a juventude no sentido de cultivarem a moral e manterem confiança ao Presidente da República, José Eduardo dos Santos, por estar a seguir as linhas de governação do primeiro presidente de Angola, Agostinho Neto.

“Não devemos alimentar situações que tendem a criar instabilidade no país, porque o povo angolano já sofreu muito com a guerra, tal como hoje sofrem os líbios, sírios e outros povos que abandonam diariamente as suas terras a procura de asilo político nos países europeus”, disse.

Kundi Paihama apelou igualmente a juventude a contribuir na defesa da integridade nacional e a evitar o “imediatismo de querer ter tudo de uma só vez”.

Lembrou que os jovens têm de apostar na formação técnica e profissional e de forma organizada contribuir na diversificação da economia, explorando todo potencial de recursos minerais que a terra dispõe.

“Temos de apostar na agricultura seriamente, por ser a base, e na indústria, o factor decisivo, respeitando o legado de Agostinho Neto, para a diversificação da economia, o que exige o contributo de cada cidadão”, destacou.

O acto do Dia do Herói Nacional, que decorreu sob o lema “Angola 40 independência, paz, unidade e desenvolvimento”, foi marcado pela oferta aos antigos combatentes de instrumento de trabalho, fertilizantes, motorizadas e geradores, de forma a melhorar a qualidade de vida dos munícipes. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA