Guiné-Equatorial e Benin defendem mutualização de recursos africanos

Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial (Foto: Carl de Souza / AFP)

O chefe de Estado da Guiné-Equatorial, Theodoro Obiang Nguema Mbassogo, e o seu homólogo beninense, Boni Yayi, defenderam domingo em Cotonou a mutualização dos recursos africanos.

Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial (Foto: Carl de Souza / AFP)
Teodoro Obiang, ditador da Guiné Equatorial (Foto: Carl de Souza / AFP)

Falando à sua chegada ao aeroporto internacional Cardinal Bernardin Gantin de Cotonou, no quadro duma visita de trabalho de 48 horas ao Benin, o Presidente Obiang Nguema regozijou-se por estar neste país para alargar a cooperação económica bilateral.

“África deve começar por criar instituições laterais e bilaterais para desenvolver as nossas economias”, indicou o estadista equato-guineense.

Disse ter acolhido com prazer o pedido do Presidente Yayi Boni para ir criar, no Benin, uma instituição bancária a fim de ajudar empresários locais e, sobretudo,  jovens.

“Para que África se desenvolva, devemos partilhar o nosso rendimento com os países irmãos”, afirmou.

Corroborando, por sua vez, o discurso do seu homólogo, Yayi Boni frisou que “África deve mutualizar os seus esforços,  os seus recursos”.

Acrescentou que´”África deve falar com África, África deve começar com África e África deve investir em África”.

Esta segunda-feira, os dois dirigentes procedem à inauguração oficial do Banco Comercial pioneiro equato-guineense, denominada CCEIBANK-Benin, especializado em concessão de créditos de investimento e dotado dum capital de dez biliões de francos CFA (mais de 17 milhões de dólares americanos).

Aproveitarão a ocasião para passar em revista questões de interesse comum no plano bilateral e farão o balanço da situação sócio-política e económica em África e no resto do mundo.

A visita ao Benin do Presidente Nguema Mbasogo culminará na assinatura de diversos acordos que ligam os dois países. (Panapress)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA