Governo do Bié reafirma vontade de melhorar qualidade de vida da população

José Fernando Chatuvela - Governador do Bié em exercício (Foto: Bartolomeu do Nascimento)
José Fernando Chatuvela - Governador do Bié em exercício (Foto: Bartolomeu do Nascimento)
José Fernando Chatuvela – Governador do Bié em exercício (Foto: Bartolomeu do Nascimento)

O governo da província do Bié vai continuar a apostar na concretização de projectos sociais, com a finalidade de melhorar a qualidade de vida das populações, reafirmou quinta-feira o governador provincial em exercício, José Fernando Chatuvela.

Falando no acto provincial que marcou os festejos do dia do Herói Nacional (17 de Setembro), sublinhou que o governo da província reitera a sua convicção que a independência alcançada a 11 de Novembro de 1975 constitui um marco da liberdade dos angolanos.

Com despontar cada vez mais de infra-estruturas sociais, que asseguram a melhoria da assistência médica e medicamentosa, o acesso à escola e ao ensino de qualidade, a formação técnico e profissional, o acesso dos jovens ao ensino superior, abastecimento de água potável e o fornecimento de energia eléctrica, entre outras, vão continuar a ser os desafios do governo local, frisou.

Defendeu, por outro lado, a necessidade da população pautar por uma conduta cívica, responsável, construtiva, harmonizando a convivência na diversidade de opiniões, promovendo o respeito às instituições e direitos, liberdades e garantias dos cidadãos.

José Fernando Chatuvela realçou igualmente a necessidade da população assumir uma postura tolerante e reconciliadora, abster-se sobretudo de comportamentos que prejudiquem o clima de paz, liberdade e harmonia que o país vive.

Para seguir o legado de Neto “O mais importante é resolver os problemas do povo”, salientou a fonte, o governo da província reafirma seu total engajamento na implementação de políticas públicas, através de acções que garantam o bem-estar das comunidades.

O 17 de Setembro na província do Bié comemora-se sob lema: Angola 40 anos, paz, independência e desenvolvimento”. Testemunharam o certame membros do governo, representante de partidos políticos e de instituições religiosas, oficiais superiores das Forças Armadas Angolas e do Ministério do Interior, entre outros convidados. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA