Furacão deixa mais de 50 famílias desalojadas

Tempestade tropical passa a furacão em Cabo Verde (D.R)

Praia – O primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, revelou, terça-feira, na cidade da Praia, que a passagem do furacão Fred pelo arquipélago deixou cerca de 50 famílias desalojadas e causou estragos em estradas, portos e aeroportos.

Tempestade tropical passa a furacão em Cabo Verde (D.R)
Tempestade tropical passa a furacão em Cabo Verde (D.R)

Em declarações à imprensa, depois de uma reunião ministerial para balanço dos estragos causados pela temporal, José Maria Neves garantiu que o furacão Fred, que desde segunda-feira atingiu Cabo Verde e que hoje passou a categoria de tempestade tropical, não provocou qualquer vítima nas ilhas mais afectadas.

Ele adiantou que o Governo está a acompanhar a situação destas, que estão em escolas porque as suas casas são mais precárias.

No entanto, ele assegurou que algumas das famílias regressarão às suas casas que não foram danificadas e as situações mais críticas terão respostas imediatas do Governo para apoiar no arrendamento ou na reabilitação das suas habitações.

José Maria Neves, que disse não ter ainda uma estimativa financeira dos prejuízos causados pelo furacão, adiantou que a chuva e o vento forte causaram estragos em todas as ilhas, particularmente nas ilhas do Sal e da Boavista, que foram as mais atingidas.

“Mas há problemas um pouco por todo do país”, devidos alguns estragos e infraestruturas danificadas.

O chefe do Governo destacou a destruição do pontão de Santa Maria e a existência de danos no aeroporto, na ilha do Sal, bem como os estragos no aeroporto da Boavista. A nível global, ele deu conta ainda dos danos registados em várias estradas e habitações, além de cortes de energia e dificuldades nas comunicações.

O primeiro-ministro cabo-verdiano congratulou-se com o facto de não ter havido vítimas e adiantou que nos próximos dias ele próprio e vários ministros do seu Governo estarão no terreno a avaliar os estragos e as intervenções necessárias.

Nos próximos dias, disse, será também feita uma avaliação técnica a todas as infraestruturas portuárias e às estradas para perceber as intervenções necessárias.

Adiantou que todos os aeroportos do arquipélago estão já a funcionar e que estão a ser tomadas todas as medidas para repor a navegação marítima.

“Felizmente, não há perdas humanas, apenas estragos materiais”, disse José Maria Neves, elogiando a resposta da Protecção Civil face à situação.

José Maria Neves destacou a forma “convergente” como a instituições actuaram para fazer face aos efeitos do furacão “Fred”.

“Globalmente, as instituições funcionaram, todo o sistema de protecção civil funcionou, e a nível das autarquias regionais, as câmaras municipais responderam rapidamente, o que demonstra a consolidação do poder local em Cabo Verde”, frisou o chefe do Executivo.

José Maria Neves assegurou ainda que o “aspecto positivo” da passagem do furacão “Fred” por Cabo Verde é a mobilização de “uma grande quantidade de água” nas barragens construídas pelo o Governo com propósito de fazer a retenção das águas pluviais que serão, posteriormente, utilizados na irrigação de terrenos agrícolas.

Segundo os dados do Centro Nacional de Furacões (NHC), da Universidade Internacional de Florida, nos Estados Unidos, o furacão ‘Fred’ afastou-se do arquipélago de Cabo Verde durante a madrugada de terça-feira, depois de passar perto de São Nicolau, São Vicente e Santo Antão. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA