Filha de Roberto Jefferson, deputada articula PEC para tirar candidatura de Lula em 2018

Se aprovada, PEC 125/2015 deixará o nome de Luiz Inácio Lula da Silva inelegível. (AFP)
Se aprovada, PEC 125/2015 deixará o nome de Luiz Inácio Lula da Silva inelegível. (AFP)
Se aprovada, PEC 125/2015 deixará o nome de Luiz Inácio Lula da Silva inelegível. (AFP)

A oposição ao governo não está apenas preocupada com a presidente Dilma Rousseff, como também já articula medidas para tirar Lula de uma possível eleição em 2018. Filha do ex-presidiário Roberto Jefferson (delator do esquema do Mensalão e hoje presidente nacional do PTB), a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) protocolou recentemente a PEC 125/2015, que, se aprovada, pode acabar com as esperanças de Luiz Inácio de se candidatar novamente daqui três anos.

Seguindo o modelo dos Estados Unidos, a PEC 125/2015 proíbe a reeleição por períodos descontinuados para cargos do Executivo, desde prefeitos até o presidente da República. Ou seja: um presidente só poderia ser reeleito de maneira seguida, não podendo em hipótese alguma voltar a disputar uma eleição caso seja substituído. O mesmo aconteceria com governadores e prefeitos.

“O presidente da República, os governadores de Estado e do Distrito Federal, os prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos, poderão ser reeleitos para um único período subsequente, sendo proibida a reeleição por períodos descontínuos”, diz o quinto parágrafo do artigo 14 da proposta, que inclusive cita o petista indiretamente, em tom de justificativa:

“Ademais, um candidato recorrente possui uma vantagem desproporcional e desleal sobre os seus adversários, visto que este já possui um nome e um legado já conhecido pelo povo”, conclui o texto.

Assim como Lula, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor e José Sarney também ficariam inelegíveis. (Yahoo)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA