Eurosondagem coloca PS à frente mas com menos deputados que a coligação

(Negócios)
(Negócios)
(Negócios)

O PS continua à frente da coligação nas intenções de voto, ainda que tenha caído ligeiramente face à sondagem de 4 de Setembro. Porém, o mais relevante é que, mesmo tendo mais votos, os socialistas elegem menos deputados do que a coligação.

O PS até pode ter mais votos nas próximas legislativas, mas quem deve eleger mais deputados é a coligação Portugal à Frente (PàF). É isso que indica o mais recente barómetro da Eurosondagem, divulgado esta sexta-feira, 18 de Setembro, pelo Expresso. O PS cai 0,5 pontos para 35,5% das intenções de voto, enquanto que a coligação recua um ponto para 34%, o que significa que a distância entre os dois até aumenta face à última sondagem. Mas o dado mais relevante é que, com estes resultados, o PS elege menos deputados.

De acordo com o estudo, um resultado de 35,5% deverá garantir entre 95 e 101 deputados ao PS. Já os 34% deverão ser suficientes para eleger entre 99 e 102 deputados ao PSD. O que legitima uma questão: quem é que ganha as eleições, quem tem mais votos ou quem tem mais deputados?

Esta questão não se tem colocado porque o partido mais votado é também o que elege mais deputados. Só que a coligação pré-eleitoral entre PSD e CDS poderá tornar mais fácil a eleição de mais deputados. Em declarações à Lusa, o especialista em sondagens Rui Oliveira e Costa sustentava, em Maio último, que “qualquer coligação pré-eleitoral entre dois ou mais partidos, em qualquer parte do mundo, tem uma percentagem menor do que se fossem separados”, mas “aquilo que se perde em votos acaba por recuperar em mandatos”.

Isto porque “há menos desperdício de votos”, e no caso da coligação, os partidos somam os votos que iriam individualmente para o PSD e o CDS. E com isso, acabam por eleger deputados que, sozinhos, não elegeriam. Algo que sucede porque “nenhum sistema eleitoral pode ser completamente proporcional”.

PCP com melhor resultado em 30 anos

O estudo da Eurosondagem indica ainda que a CDU deverá conseguir 10,3% dos votos, o que será suficiente para eleger entre 20 a 22 deputados – algo que, nota o Expresso, será o melhor resultado em 30 anos. Já o Bloco de Esquerda, com 5,2%, deve conseguir entre seis e nove deputados. O PDR, com 2,2%, deverá conseguir eleger dois deputados – e nenhum deles será Marinho e Pinto, enquanto o Livre, com 1,8% das intenções de voto, só consegue eleger Rui Tavares.

Neste cenário, prossegue o semanário, o PS poderia conseguir maioria absoluta se se coligasse com o PCP.

Esta sondagem foi realizada entre os dias 11 e 16 de Setembro, ou seja, depois do primeiro debate entre Passos e Costa, em que este último se evidenciou. O resultado deste estudo (uma queda de 0,5 pontos face à sondagem de 4 de Setembro) dá a entender que o PS não beneficiou da prestação do seu líder.

Recorde-se que a sondagem da Aximage divulgada a 9 de Setembro colocava a coligação cinco pontos à frente do PS. (Jornal de Negócios)

por Bruno Simões

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA