EUA: Nações Unidas, 70 anos depois o debate que se impõe

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS (Foto: Pedro Parente)

Nova Iorque – O debate geral no quadro da 70 ª Sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas iniciou esta segunda-feira, numa altura em que a organização se encontra pressionada para a conclusão de grandes dossiers.

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS (Foto: Pedro Parente)
ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS (Foto: Pedro Parente)

Entre estes desafios estão o da conclusão das grandes definições sobre o processo de reformas na organização, sobretudo no que toca a uma maior e melhor representatividade geográfica em estrutura como o Conselho de Segurança, e o acordo sobre as alterações climáticas.

Sob presidência do ex-governante dinamarquês, Mogens Lykketoft, os  debates desta 70 ª Sessão irão decorrer até ao dia 3 de Outubro e, nele, a delegação angolana é chefiada pelo Vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, em representação do Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos.

Perante esta grande tribuna mundial, e após a intervenção da liderança da 70 ª Sessão, a primeira estadista a discursar, isto já no quadro de uma longa tradição da organização, será a presidente brasileira, Dilma Rousseff, a que se seguirá Barack Obama (EUA), mas também neste dia estão a gerar grande expectativas as intervenções de líderes como o russo, Vladmir Putin, o chinês, Xi Jinping, das autoridades iranianas, francesas, cubanas, entre outras.

As distintas lideranças mundiais vão apresentar os seus pontos de vista e posicionamento sobre as questões da política internacional actual, com realce para os conflitos que se verificam um pouco pelo Mundo, os movimentos terroristas, a crise dos refugiados, as questões relativas à pobreza, esta última que tem um grande tom nesta sessão.

A propósito, no quadro da 70ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, a Cimeira sobre o Desenvolvimento Sustentável Pós -2015, que definiu os desafios mundiais para os próximos anos e adoptou os mecanismos para a sua concretização.

No entanto, apesar da concordância sobre a importância e urgência de uma acção neste domínio, as nações mundiais continuam ainda divididas entre norte e sul no que toca aos apoios ou financiamentos para a concretização dos desafios rumo ao desenvolvimento sustentável.

A intervenção do Papa Francisco, no quadro destes mesmos festejos quando chamou atenção das lideranças mundiais para não se conformarem com os discursos formais, mas para uma acção que concretize os desejos de paz e solidariedade.

Fundada em 1945, logo após a Segunda Guerra Mundial, a ONU possui hoje 193 membros e tem como principais estruturas a Assembleia Geral  e o Conselho de Segurança, este último apenas integrado por 15 membros, entre permanentes e não -permanentes de que Angola faz parte. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA