EUA: Exposição Fotográfica homenageia Poeta Maior da Nação

Vida e obra de Agostinho Neto enaltecida (Foto: Angop)

Washington, D.C. – Em saudação ao Dia do Herói Nacional e integrada no programa de celebrações dos 40 anos da independência Nacional, esteve patente ao público, nas instalações da Embaixada de Angola nos Estados Unidos da América, uma exposição fotográfica sobre a vida e obra de António Agostinho Neto, o poeta maior da Nação.

Vida e obra de Agostinho Neto enaltecida (Foto: Angop)
Vida e obra de Agostinho Neto enaltecida (Foto: Angop)

A referida exposição fotográfica, montada num dos salões principais desta missão diplomática, que decorreu de 17 a 22 do corrente mês, reuniu 150 fotos, que demonstram a trajectória de Agostinho Neto e o seu papel na luta pela liberdade dos povos de Angola e do continente africano em geral.

A cerimónia de encerramento realizada terça-feira foi presidida por Agostinho Tavares, embaixador de Angola nos EUA, juntou alguns chefes de missões diplomáticas  acreditados nos EUA, parceiros americanos de entre os quais membros de alguns órgãos  de imprensa, académicos, estudantes universitários interessados em conhecer a cultura angolana, além da comunidade angolana residente na área metropolitana de Washington, D.C., Maryland e Virginia.

Na ocasião, o diplomata angolano, disse que o momento serviu de  reconhecimento profundo e para homenagear dignamente a figura de Neto, o Herói Nacional, destacando o contributo do fundador da nação angolana na afirmação  e  unidade do povo angolano e africano em geral.

As fotos expostas retrataram diversos momentos da trajectória de António Agostinho Neto, desde a sua vida familiar, formação académica, momentos na guerrilha, visita às tropas na frente de combate, encontros com líderes e figuras mundiais como Samora Machel, Amílcar Cabral, Fidel Castro, proclamação da independência nacional a 11 de Novembro de 1975, entre outros.

O embaixador de Angola nos EUA fez saber que Agostinho Neto representa uma figura indelével na história do país, daí a importância em dar a conhecer a sua vida e obra.

“Todos devemos ver Agostinho Neto, como uma figura da qual cada um de nós deve rever – se, procurando dar corpo nas nossas mentes os valores que o caracterizavam, com relevo para o humanismo, patriotismo, bravura, disciplina, e acima de tudo o amor pelas letras”, enfatizou o diplomata angolano.

Durante a cerimónia foram recitados poemas de António Agostinho Neto e distribuída a sua biografia em português e inglês.

Nascido a 17 de Setembro de 1922, em Icolo e Bengo, 60 quilómetros a norte de Luanda, António Agostinho Neto morreu em Moscovo, capital da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), a 10 de Setembro de 1979, por doença.

Tido como um homem de cultura e de poesia, fez parte da geração de estudantes africanos que viria a desempenhar um papel decisivo na independência dos seus países, naquela que ficou designada como a guerra colonial portuguesa. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA