EUA: Angola “abraça” mediação de conflitos

Nova Iorque: Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos (Foto: Rosario dos Santos)
Nova Iorque: Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos (Foto: Rosario dos Santos)
Nova Iorque: Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos (Foto: Rosario dos Santos)

A República de Angola está em condições de contribuir positivamente e ajudar eventuais partes desavindas a dirimir conflitos pela via do diálogo, no mundo, em África e nas regiões do continente onde esteja inserida.

A afirmação foi feita nesta terça-feira, em Nova Iorque (EUA), pelo presidente da Assembleia Nacional (AN), Fernando da Piedade Dias dos Santos, para quem o país tem obtido resultados positivos nessa frente.

Segundo o parlamentar, que falava em entrevista exclusiva à Rádio da ONU, o compromisso das autoridades e do povo angolano é com a paz, democracia, os direitos humanos e o desenvolvimento.

“Nós, no nosso país, sofremos directamente os males da guerra. Por isso valorizamos os efeitos da paz e estamos em condições de contribuir positivamente para que, no mundo, na África e nas regiões onde estamos inseridos pudermos aconselhar as partes que os conflitos devem ser resolvidos pela via do diálogo”, disse.

Sublinhou que Angola trouxe à IV Conferência Mundial dos Presidentes dos Parlamentos a sua experiência e vontade de contribuir positivamente para o alcance da paz.

Em relação à conferência, que decorre desde segunda-feira e se encerra nesta quarta-feira (2), disse que o seu tema permite unir os presidentes da maior parte dos países.

No seu entender, o evento é uma oportunidade para os líderes parlamentares conhecerem-se, trocar experiências e abordar temas importantes dos acontecimentos mundiais, tais como a paz, a democracia e o desenvolvimento sustentável.

Referiu que esse evento permitiu abordar outros temas, como a igualdade do género e a crise que se arrasta em todo mundo, por causa da baixa do preço do petróleo.

“É uma forma de nos conhecermos e aprendermos uns com os outros”, exprimiu.

Questionado sobre os pontos fortes do seu discurso, nesta segunda-feira, Fernando da Piedade Dias dos Santos disse ter destacado temas como a paz, democracia, desenvolvimento, alterações climáticas e da necessidade de haver mais solidariedade.

“Se somos democratas, temos de ser de facto iguais, ter igualdade de oportunidades, respeitarmo-nos uns aos outros e ser solidários. Aqueles que podem mais, devem ajudar os que têm menos”, concluiu. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA