Domingos Simões Pereira mantém disponibilidade para governar na Guiné-Bissau

CEDEAO (DR)
CEDEAO (DR)
CEDEAO (DR)

Os líderes da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) estão reunidos na capital do Senegal, em Dacar, onde se encontra, nomeadamente, o Presidente guineense e o primeiro-ministro deposto Domingos Simões Pereira que, em entrevista à RFI, afirmou a disponibilidade para governar.

Em Dacar, o encontro decorreu à porta fechada para discutir questões relacionadas com a situação pré-eleitoral em alguns Estados-membros da Comunidade entre os quais Burkina Faso, Guiné Conakri e Costa do Marfim, mas também para falar sobre a situação política da Guiné-Bissau que se encontra há um mês sem governo.

Em entrevista à RFI, o primeiro-ministro deposto Domingos Simões Pereira disse que mantém disponibilidade para governar. Domingos Simões Pereira disse ainda que os partidos com assento parlamentar não receberam qualquer convocação da parte do chefe de Estado como tinha sido anunciado ontem: “os partidos políticos com representação parlamentar nunca receberam nenhuma carta do Senhor Presidente da República a convidá-los para esse encontro. Nós aguardamos, de facto, com atenção essa nota porque em cumprimento do acordo do Supremo Tribunal de Justiça, o PAIGC espera receber o Senhor Presidente da República”.

O encontro entre o Presidente da República e os partidos com assento parlamentar foi  apontado como uma das etapas imprescindíveis para a nomeação de um novo primeiro-ministro que, de acordo com o Supremo Tribunal de Justiça, deverá ser indicado pelo PAIGC, partido vencedor do último escrutínio legislativo.

A Guiné-Bissau encontra-se há um mês sem governo e vive num impasse quanto à nomeação de um novo Governo, na sequência da exoneração do executivo de Domingos Simões Pereira, a 12 de Agosto, pelo Presidente José Mário Vaz.

Na capital senegalesa encontram-se reunidos, à porta fechada, oito Chefes de Estado da CEDEAO e os representantes das Nações Unidas e da União Africana (UA) numa cimeira convocada pelo Presidente da República do Senegal, Macky Sall, como descrever o nosso correspondente em Dacar, Cândido Camará que está a acompanhar a cimeira.

Em Dacar também se encontram dirigentes da sociedade civil guineense, nomeadamente, membros da plataforma criada com o início da crise política no país.

A Aliança para Paz Estabilidade e Democracia que levou hoje uma mensagem aos dirigentes da CEDEAO sobre a visão têm quanto às resoluções da crise política do país como explica a porta-voz da plataforma Fatumata Djau Baldé que pede ao Presidente da República que “cumpra com as decisões do Supremo Tribunal de Justiça devolvendo o poder ao PAIGC para que este possa indicar um primeiro-ministro e constituir um governo para sair o país desta situação de estarmos há um mês sem governo. A vida do cidadão guineense continua a deteriorar-se dia-a-dia, o que para nós é muito preocupante”. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA