Dilma viaja para Assembleia Geral da ONU com agenda centrada em sustentabilidade

(Ricardo Stuckert / Instituto Lula)
(Ricardo Stuckert / Instituto Lula)
(Ricardo Stuckert / Instituto Lula)

A presidenta Dilma Rousseff anuncia domingo (27), durante discurso na Cúpula das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, as metas nacionais de redução da emissão de gases de efeito estufa que serão levadas à 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima (COP21), que ocorrerá em dezembro, em Paris.

Na Cúpula sobre Desenvolvimento Sustentável, entre os dias 25 e 27, na sede da ONU, em Nova York, os países adotarão oficialmente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS guiarão as nações em uma agenda global de desenvolvimento sustentável até 2030 e substituirão os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), vigentes até o fim deste ano.

O processo de construção dos ODS começou com a Conferência Rio+20 e teve participação de 193 países. São 17 objetivos, com 169 metas universais para países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Entre as propostas estão erradicar a fome e a pobreza, promover a agricultura sustentável, saúde, educação e igualdade de gênero, além de garantir a todos o acesso à água, ao saneamento e à energia sustentável, o crescimento econômico, emprego, a industrialização, cidades sustentáveis e a redução da desigualdade. Também preveem a mudança de padrões de consumo e a produção.

Na Cúpula sobre Desenvolvimento Sustentável, entre os dias 25 e 27, na sede da ONU, em Nova York, os países adotarão oficialmente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS guiarão as nações em uma agenda global de desenvolvimento sustentável até 2030 e substituirão os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), vigentes até o fim deste ano.

O processo de construção dos ODS começou com a Conferência Rio+20 e teve participação de 193 países. São 17 objetivos, com 169 metas universais para países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Entre as propostas estão erradicar a fome e a pobreza, promover a agricultura sustentável, saúde, educação e igualdade de gênero, além de garantir a todos o acesso à água, ao saneamento e à energia sustentável, o crescimento econômico, emprego, a industrialização, cidades sustentáveis e a redução da desigualdade. Também preveem a mudança de padrões de consumo e a produção.

A presidenta Dilma fará o discurso de abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas na segunda-feira (28). No domingo, a convite do secretário-geral da ONU, Ban Ki-mon, ela participará de um almoço com os presidentes da França, François Hollande, e do Peru, Ollanta Humala, para discutir o rumo das negociações climáticas para a COP21.

De acordo com o Itamaraty, estão previstos encontros bilaterais com outros chefes de Estado.

Na sexta-feira, às 9h, Dilma também deverá assistir ao discurso do papa Francisco, na Cúpula sobre Desenvolvimento Sustentável, na sede da ONU. A previsão é que a presidenta embarque na quinta-feira (24) para os Estados Unidos, informou Agência Brasil. (sputniknews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA