De quem são os “silêncios ensurdecedores” sobre o BES?

(Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

Passos esclarece o mistério. Estava a falar do BES e dos privilégios, mas diz que os “silêncios” são sobre a reforma da Segurança Social que Costa não explica. E o BES? “Tem a ver com as duas coisas”.

(Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)
(Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

O presidente do PSD afirmou hoje que os “silêncios ensurdecedores” a que se referiu no domingo visavam o líder do PS e a reforma da Segurança Social, vincando que ainda não está esclarecido o corte nas prestações sociais.

“Nós já iremos hoje para o quinto dia sobre o debate e continuamos a não ter um esclarecimento do líder do maior partido da oposição quanto à forma como está a prever a introdução de condição de recursos para as prestações solidárias. Todos os dias temos chamado a atenção para esse problema e todos os dias há um silêncio que é, de facto, ensurdecedor”, afirmou Pedro Passos Coelho quando questionado sobre a que se referiu no domingo à noite.

Confrontado com o facto de ter referido esses “silêncios ensurdecedores” num passo da sua intervenção em que estava a falar do BES e da necessidade de se acabar com privilégios, Pedro Passos Coelho respondeu que estava a rematar uma intervenção sobre a “independência do Estado”, nomeadamente dos grupos económicos, e sobre a importância das grandes reformas, sobretudo a da Segurança Social, e que o silêncio a que se referia “tem a ver com as duas coisas”. (DN)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA