Cuanza Sul: Ministro dos Petróleos solicita maior empenho dos quadros

Mministro angolano dos Petróleos - Botelho de Vasconcelos (Foto: Antonio Escrivao)
Mministro angolano dos Petróleos - Botelho de Vasconcelos (Foto: Antonio Escrivao)
Mministro angolano dos Petróleos – Botelho de Vasconcelos (Foto: Antonio Escrivao)

O ministro angolano dos Petróleos, Botelho de Vasconcelos, solicitou sexta-feira, na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, um maior desempenho dos quadros do sector, face aos novos desafios da indústria petrolífera.

Botelho de Vasconcelos, que falava no encerramento do XI Conselho Consultivo do sector, adiantou que abre-se uma nova era para a industria petrolífera no país, por isso, deve haver uma maior entrega e dinamismo dos quadros.

Referiu que a actual conjuntura financeira que o país vive remete ao sector uma responsabilidade acrescida ao investimento para outros sectores da vida nacional, visando inverte-la através do relançamento da produção interna, no quadro do programa da diversificação da economia, adoptado pelo Executivo.

Disse ser necessário uma mobilização total para que se possa atingir os objectivos preconizados.

Salientou que haverá algumas mudanças na legislação petrolífera, para que se possa adequar a nova realidade.

“Devemos assegurar a manutenção do princípio da estabilidade contratual, como garantia ao investimento”, frisou o ministro.

Segundo o governante, é necessário acelerar a construção da refinaria do Lobito, para que possa haver mais combustível e lubrificante no mercado.

O governante lembrou que em função do seu papel revitalizador da economia do país e como principal fonte de arrecadação de receitas para o Estado, o sector petrolífero deve encetar acções concretas para que a recessão do preço do barril de petróleo no mercado internacional não afecte, de forma negativa, os indicadores económicos do país.

O XI Conselho Consultivo Alargado debruçou-se sobre as recomendações do X Conselho Consultivo realizado no ano transacto, na cidade do Lobito, província de Benguela, o quadro regulamentar e fiscal do sector, flexibilização dos termos contratuais para campos marginais e exploração, modalidades de segurança e ambiente, a petroquímica, análise da situação actual e desafios do Instituto Nacional de Petróleos, entre outros.

Participam no evento, directores nacionais e quadros seniores do sector dos petróleos, presidentes das empresas que operam na produção petrolífera, técnicos da Sonangol e convidados. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA