Cuanza Norte: Governador quer mais criadores e apreciadores de artes na Feira do Dondo

Governador do Cuanza Norte no encerramento da VI edição da Feira do Dondo (Foto: Diniz Simão)
Governador do Cuanza Norte no encerramento da VI edição da Feira do Dondo (Foto: Diniz Simão)
Governador do Cuanza Norte no encerramento da VI edição da Feira do Dondo (Foto: Diniz Simão)

O governador do Cuanza Norte, Henrique André Júnior, apontou domingo, no Dondo, municipio de Cambambe, a necessidade de se trabalhar para que a Feira do Dondo continue a atrair cada vez mais criadores, produtores e apreciadores de artes, tornado-a mais atrativa.

Ao falar na cerimónia de encerramento da VI edição da Feira de Artesanato do Dondo, que decorreu de 11 a 13 deste mês, disse ser necessário que em cada certame do gênero sejam apresentadas novas ideias que possam melhorar, gradualmente, os níveis de organização do formato da Feira.

Referiu que as pretensões do governo da província vão no sentido de que a Feira do Dondo assuma uma dimensão nacional, o que vai, por isso, requerer o poder imaginativo e criativo dos técnicos que trabalham na organização do evento.

Acrescentou que a afirmação da Feira do Dondo no mundo mercantil, somente será possível com o empenho, persistência, astúcia e perspicácia de todos, afinando cada vez mais as capacidade de inovação dos organizadores.

Henrique Júnior destacou que para a história fica o êxito alcançado nas actividades realizadas no evento e os ganhos obtidos pelos feirantes com a exposição e venda dos seus materiais.

Ressaltou ainda os trabalhos que estão a ser realizados para a preservação dos monumentos e sítios históricos da região do Corredor do Cuanza, tendo destacado a recuperação das ruínas de Cambambe e a classificação de um novo sitio histórico denominado “Pedras Laúca”, na comuna de São Pedro da Quilemba, que serão passos importantes para o conhecimento do manancial histórico e patrimonial da região.

“Tais acções serão mais um contributo para a história e ao turismo que se pretenda que cresça mais”, referiu.

Durante três dias, a Feira do Dondo acolheu diversas iniciativas culturais e desportivas como exposição de produtos de artesanato, conferências, lançamento de livros, regata de canoagem tradicional, concurso de natação ao rio Kwanza, excursões a locais e sítios históricos da cidade do Dondo e da comuna de Massangano.

A VI edição da Feira do Dondo decorreu sob o lema “Feira do Dondo – Entre o passado e o presente, 40 anos a preservar os nossos lugares de memória.

O acto de encerramento foi testemunhado pelo secretário de Estado da Cultura Cornélio Caley, membros do governo do Cuanza Norte, da administração municipal, convidados e público em geral. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA