Cuanza Norte: Especialistas de artilharia das FAA concluem formação

100 formados na especialidade de artilharia terrestre e 80 na área de defesa antiaérea (Foto: Angop)

Ndalatando – Cento e 80 cadetes concluíram, hoje, quarta-feira, em Ndalatando, Cuanza Norte, o VII curso de especialistas menores de artilharia terrestre e defesa antí – aérea, tropa e rádio técnico das Forças Armadas Angolanas (FAA), visando a preparação e aperfeiçoamento das técnicas daquela especialidade militar.

100 formados  na especialidade de artilharia terrestre e 80 na área de defesa antiaérea (Foto: Angop)
100 formados na especialidade de artilharia terrestre e 80 na área de defesa antiaérea (Foto: Angop)

O curso com a duração de seis meses contou com a participação de efectivos provenientes de várias unidades do exército e da marinha, dos quais  100 formados  na especialidade de artilharia terrestre e 80 na área de defesa antiaérea, seleccionados num universo de cerca de quatro mil e 500 candidatos.

No curso os especialistas da área de artilharia terrestre foram capacitados sobre reconhecimento, topologia, calculadores e sistemas de estriados de  peças de artilharia de 122 milímetros anti-tanque, lança granadas de morteiros de 82 milímetros  reactivo.

Já na especialidade de defesa anti-aérea os instruendos receberam noções sobre os sistemas de peças de Z/U-23 de 57 milímetros e P-Z-R-K.

O curso decorreu em três fases, sendo a primeira consubstanciada em aulas de formação teórica, a segunda exercício de tiro real e a última destinada a avaliação dos instruendos.

Numa mensagem lida no acto do encerramento realizado  na unidade militar número 218, em Ndalatando,  os formandos comprometeram-se a colocar em pratica os conhecimentos ora adquiridos e  cumprir com zelo e abnegação as tarefas pelas quais forem chamados.

Reconheceram a importância da formação e da instrução na preparação das  tropas visando  o amor à pátria, disciplina, valentia, conhecimento e autodomínio no manuseamento das técnicas militares em condições difíceis e complexas no teatro militar.

Ao intervir no acto de encerramento, o chefe de direcção de Artilharia Terrestre e Mísseis do comando geral do Exército, general António Fernando “Dolizi”, solicitou aos recém-formados  rigor, responsabilidade e espírito de equipa na execução das tarefas ligadas a artilharia, lembrando-os que qualquer erro do especialista do ramo coloca em risco as vidas dos seus colegas.

A formação decorreu na Escola de Artilharia Reactiva do Comando do Exército (ex-U/M 218) ministrado por especialistas das FAA.

Assistiram o acto de encerramento,  oficiais das Forças Armadas Angolanas, da Polícia Nacional, membros do governo da província e convidados, numa cerimonia  marcada por desfile das tropas em parada e momentos culturais com música e teatro militar. (Angop)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA