Cuando Cubango: Enaltecida participação da Rússia na defesa da Pátria

Joaquim Malichi, vice-governador do Cuando Cubango para Infra-estruturas (Foto: Armandio Morais)
Joaquim Malichi, vice-governador do Cuando Cubango para Infra-estruturas (Foto: Armandio Morais)
Joaquim Malichi, vice-governador do Cuando Cubango para Infra-estruturas (Foto: Armandio Morais)

O vice-governador da província do Cuando Cubango para os serviços técnicos e infra-estruturas, Joaquim Malichi, enalteceu, hoje sexta-feira, na comuna do Luassingua, município do Cuito Cuanavale, a participação e dedicação dos militares russos, na defesa da integridade territorial de Angola.

Joaquim Malichi prestou estas declarações à imprensa, no final de uma actividade patriótica dos membros da União dos Veteranos de Angola (UVA), que culminou com a identificação dos destroços de uma Antenov Russa, que há 30 anos foi alvejada por um grupo especial de tropas sul-africanas, tendo culminado com a morte de 12 cidadãos russos e nove angolanos.

A aeronave estava ao serviço das Forças Armadas de Libertação de Angola (FAPLA) e viajava de Menongue, capital do Cuando Cubango, para o município do Cuíto Cuanavale, com o objectivo de levar material logístico e, sobretudo, dinheiro para as tropas angolanas que estavam destacadas naquela municipalidade, quando no dia 25 de Novembro de 1985, sem chegar ao destino, foi atingida.

Segundo Joaquim Malichi, a identificação e o tributo prestado aos sinistrados reveste-se de muita importância, por ter sido dirigida àqueles que lutaram ao lado dos angolanos para que o país continuasse uno e indivisível.

Por outro lado, sublinhou que a actividade permitiu, igualmente, acabar com algumas dúvidas e curiosidades sobre o contributo da Rússia na defesa da pátria angolana, enaltecendo que os familiares das vítimas sentiram-se igualmente reconfortadas e esclarecidas no local, sobre as causas que estiveram na base do ataque à aeronave em que se encontravam.

“ Quando morre alguém, os familiares sempre ficam em dúvida e assim, pelo menos, vieram cá para terem a certeza do que realmente aconteceu”, sublinhou.

Para além de cidadãos russos filiados à UVA e familiares das vítimas, a cerimónia contou igualmente com a presença do Comandante da V Divisão de Infantaria da Região Militar Sul das Forças Armadas Angolanas no Cuando Cubango, Tenente-General Paulo Xavier “Passix”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA