China volta a afundar mais de 3% após dados económicos

(jornaldenegocios)
(jornaldenegocios)
(jornaldenegocios)

A principal bolsa chinesa voltou às quedas acentuadas, depois de terem sido divulgados indicadores económicos que voltam a aumentar os receios em torno da economia.

O índice Shanghai Composite cai 3,44% para 3.090,062 pontos, registando assim a maior queda desde 25 de Agosto, dia em que a perda foi superior a 7%.

A justificar o comportamento desta segunda-feira, 14 de Setembro, estão, novamente, dados económicos cujos números ficaram aquém das estimativas, o que está a aumentar os receios em torno da segunda maior economia do mundo.

A produção industrial aumentou 6,1% em Agosto, quando comparado com igual período do ano passado. Mas os economistas consultados pela Bloomberg antecipavam um aumento médio de 6,5%.

Outro indicador revelado antes da abertura do mercado de Xangai foi o investimento em activos, que aumentou 10,9% nos primeiros oito meses do ano, quando os economistas previam um acréscimo de 11,2%. O crescimento do investimento foi mesmo o mais moderado desde 2000.

“Os relatórios económicos não parecem bons, por isso os investidores preferem manter-se à margem”, afirmou à Bloomberg Wu Kan, gestor de fundos na JK Life.

À parte dos dados económicos, a China anunciou os seus planos para catapultar o investimento privado em empresas públicas. O objectivo é o de reformar as empresas “zombies”, ao mesmo tempo que se estimula o “convívio” entre capital privado e públicos. (Jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA