Bolsa nacional sobe quase 1% à boleia da Jerónimo Martins e Galp

(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)

A bolsa nacional iniciou a sessão em alta, a beneficiar dos ganhos registados pela Jerónimo Martins e pela Galp, ambos superiores a 1%. Entre os congéneres europeus a tendência é idêntica, num dia em que a praça chinesa está encerrada.
O PSI-20 está a subir 0,93% para 5.135,21 pontos, com 16 acções em alta, uma em queda e uma inalterada. Se encerrar em alta, esta será a primeira sessão de ganhos em cinco dias da bolsa nacional.

Entre os congéneres europeus a tendência é semelhante, com os índices a subirem perto de 1%. Ao contrário do que aconteceu nas últimas semanas, a sessão desta quinta-feira não arranca com notícias vindas da China. A bolsa de Xangai está encerrada e só volta a negociar na segunda-feira.

A China deverá ser precisamente um dos temas abordados pelo Banco Central Europeu (BCE) na sua reunião mensal.

A contribuir para a subida da bolsa nacional está a valorização de 1,33% da Jerónimo Martins, que negoceia nos 12,23 euros, sendo acompanhada pela Sonae SGPS, que está a subir 0,63% para 1,12 euros. As retalhistas sobem assim pelo segundo dia consecutivo, depois de ontem a directora-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) ter revelado que as vendas do retalho alimentar estão a começar a aproximar-se dos níveis anteriores à crise e estimado que o consumo vai continuar a crescer.

A contribuir para os ganhos da bolsa está também a Galp Energia, ao avançar 1,19%para 9,125 euros, a beneficiar da subida do petróleo que, em Londres, voltou a negociar acima dos 50 dólares por barril.

Ainda na energia, a EDP está a avançar 0,79% para 3,055 euros, a EDP Renováveis está a ceder 0,60% para 5,914 euros e a REN está a apreciar 1,23% para 2,625 euros.

Na banca, o BCP está a crescer 1,0% para 6,1 cêntimos, o BPI está a apreciar 1,32% para 92,0 cêntimos e o Banif, que ontem atingiu um mínimo histórico, está a subir 1,96% para 0,52 cêntimos. (jornaldenegocios.pt)

por Sara Antunes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA